Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Sheik já foi expulso seis vezes no Corinthians. Veja a lista!

Após expulsão do atacante, São Paulo fez 2 a 0 no Corinthians

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2015 | 14h49

A expulsão de Emerson Sheik na derrota para o São Paulo, por 2 a 0, pela Copa Libertadores, foi mais um episódio de indisciplina na passagem do atacante pelo Corinthians. Desde 2011, ele foi expulso seis vezes com a camisa do Corinthians. Além disso, levou cartão vermelho quando estava emprestado ao Botafogo em 2014. O técnico Tite evitou culpar o atacante pela derrota - quando ele foi expulso, aos 18 minutos, a partida estava empatada por 0 a 0, mas já era dominada pelo São Paulo - e disse que o assunto será tratado internamente. "Não vou externar nossa posição, mas o torcedor do Corinthians pode ter a confiança de que ninguém passa a mão na cabeça de ninguém", disse o treinador, em entrevista coletiva, após a partida do Morumbi.  

1. Invencibilidade perdida

O clássico contra o São Paulo ainda estava 0 a 0, mas o São Paulo dominava a partida. Emerson Sheik vinha se desentendendo com Rafael Toloi desde o início. Aos 18 minutos, após uma disputa de bola, no qual o zagueiro Toloi teria dado um pisão no atacante (as imagens não deixam o lance claro), o atacante deu um leve toque com o pé no zagueiro tricolor, que caiu no chão. Alertado pelo assistente, o árbitro Sandro Meira Ricci expulsou o corintiano.

2. Queda na Copa do Brasil 2013

Na eliminação do Corinthians na Copa do Brasil de 2013, contra o Grêmio, em Porto Alegre, Sheik foi expulso após uma disputa com o chileno Vargas. O gremista fez falta em Sheik e tentou levantá-lo, mas o corintiano não as aceitou. O árbitro Paulo Godoy Bezerra expulsou os dois.

3. A polêmica da homofobia

Em 2013, em jogo contra o Luverdense, pela Copa do Brasil, no Mato Grosso, o atacante discutiu com o zagueiro Zé Roberto. Dias antes, o corintiano havia dado um "selinho" em um amigo, em um restaurante em São Paulo, para protestar contra a homofobia. Sheik saiu na bronca com o árbitro Pablo dos Santos Alves. 


4. 'Juiz safado e ladrão'

No Brasileirão de 2012, Sheik foi expulso aos 31 minutos da vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-MG. Após receber cartão amarelo por reclamação no primeiro tempo, ele tocou a mão na bola, e o árbitro Péricles Bassols não perdoou. Novo cartão vermelho na carreira. Revoltado, Sheik deixou o gramado do Pacaembu chamando o juiz de “safado e ladrão”. 

5. Gol e expulsão na Vila Belmiro

Na semifinal da Libertadores de 2012, contra o Santos, na Vila Belmiro, o atacante fez o gol da vitória. No entanto, fez uma falta criminosa em Neymar e acabou expulso. Sem Sheik, o Corinthians arrancou um empate no jogo da volta, no Pacaembu, e se classificou para a decisão da Libertadores. Na decisão, Sheik fez os dois gols do título. 

6. Aplausos e expulsão

A primeira expulsão de Sheik pelo Corinthians foi no Brasileirão de 2011, em jogo contra o Bahia. O árbitro Evandro Rogério Roman entendeu que o corintiano estava fazendo cera - o time vencia por 1 a 0, gol do próprio Emerson - e mostrou cartão amarelo. O atacante aplaudiu de forma irônica. E levou o vermelho na sequência. Detalhe: no carrinho de maca, já que estava sendo atendido pelo médico do Timão, reclamando de dores musculares.  

A expulsão mais marcante de Emerson, no entanto, aconteceu durante sua passagem por empréstimo ao Botafogo, em 2014. Após levar o segundo amarelo em jogo contra o Bahia, no Maracanã, o atacante se dirigiu a uma câmera e protestou. "CBF, você é uma vergonha! Vergonha!", afirmou o atacante. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.