Divulgação
Divulgação

Siemsen diz lutar para manter principal parceira do Flu

Presidente quer continuar vínculo para manter redução nos investimentos e diz que está disposto a diminuir verba, se necessário

RONALD LINCOLN JR., Estadão Conteúdo

04 de dezembro de 2014 | 17h17

O presidente do Fluminense, Peter Siemsen, afirmou em entrevista nesta quinta-feira que está trabalhando para manter a parceria com a principal patrocinadora do clube, a Unimed, que prevê uma redução nos investimentos em 2015. Mas garantiu que se houver a necessidade de diminuição da verba por parte da empresa, seu time estará pronto para sofrer o impacto.

"O Fluminense está preparado para lidar com uma mudança de modelo, uma eventual necessidade de diminuição", explicou. Mesmo com a expectativa de menor capacidade de investimento para a próxima temporada, o dirigente acredita que pode montar um time competitivo.

"Não concordo que vai ser um time mais fraco (em 2015), pelo contrário. Um elenco mais jovem, com potencial de crescimento, mais os que têm contrato em vigor, que servem de referência aos mais jovens. Temos condições de ter um grande elenco", garantiu Siemsen.

As declarações foram feitas em um momento conturbado. A administração tricolor sofreu recentemente críticas de alguns jogadores, a mais contundente do atacante Fred, que questionou o atraso de 20 meses de pagamentos de direitos de imagem. Torcedores também realizaram protestos contra o presidente, a quem culparam pela não classificação do time para a Copa Libertadores e pelas dificuldades financeiras enfrentadas pelo clube.

Siemsen admitiu haver problemas. "A realidade foi dita pelo Fred e dessa realidade estou ciente. Os jogadores sabem que estamos trabalhando para resolver isso o quanto antes", afirmou. Outra situação que está incomodando o elenco tricolor é a indefinição sobre a permanência de alguns atletas, caso que o presidente considerou comum em fim de temporada.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminensePeter Siemsen

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.