Silas espera liberação para jogar

Apesar da indefinição sobre a liberação do meia Silas, o técnico do Rio Branco, Zé Teodoro, bateu o pé: se não for confirmado o fim da punição do jogador, ele vai ficar de fora do jogo contra a Portuguesa Santista, domingo, em Santos. O time de Americana defenderá em Ulrico Mursa a liderança e a invencibilidade no Paulistão. A diretoria enviaria um advogado ao Rio de Janeiro, na tarde desta sexta-feira, a fim de conseguir, por escrito, a liberação de Silas pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A suspensão de 60 dias imposta ao jogador terminaria neste sábado, véspera do jogo contra a Santista. Ninguém no clube, porém, quer arriscar colocar o meia em campo. "Só temos a liberação do Silas de forma verbal. Ninguém nos enviou um ofício dizendo que ele está apto a jogar. Se não recebermos esse comunicado até o final da tarde, ele não vai jogar", garantiu o gerente de futebol do clube, Juraci Catarino. O técnico Zé Teodoro já adiantou que se o jogador não puder atuar, o meio-de-campo do Rio Branco deverá ser formado por Alexandre Chagas, Djair, Vaguinho e Marcinho. O atacante Wilton Goiano pode ser a surpresa do treinador, que petende ter uma equipe mais ofensiva contra a Santista. O maior desfalque é Jefferson, que recebeu o segundo cartão amarelo e cumpre supensão. Líder isolado do campeonato com 20 pontos, o Rio Branco quer confirmar a boa fase com a vitória sobre a Portuguesa Santista. A missão do time de Americana, porém, é difícil, já que a equipe santista mantém uma invencibilidade de cinco meses no estádio Ulrico Mursa. "O mais importante para nós é continuar com chances de classificação para a próxima fase do campeonato", destacou o sempre modesto Zé Teodoro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.