Reuters
Reuters

Simeone contra Zidane marca duelo de estilos

Técnicos se enfrentam na final da Liga dos Campeões

O ESTADO DE S.PAULO

28 de maio de 2016 | 07h00

Em entrevista ao jornal italiano La Gazzetta dello Sport, o ex-jogador Ronaldo Fenômeno, que atuou com Zidane no Real Madrid e Diego Simeone na Inter de Milão, foi sincero e disse que não gosta do estilo de jogo do Atlético de Madrid.

Ronaldo não é o único. O "Cholismo" de Simeone é criticado pela sua postura defensiva, uma retranca moderna. “Não gosto do que Simeone transmite (como estratégia) aos jogadores. Faz a equipe jogar muito bem, mas é um jogo fechado e que busca o contra-ataque”, disse o Fenômeno.

Simeone, que recebeu o apelido de Cholo quando ainda jogava no Vélez, rebateu ao seu estilo: ‘Tenho um grande respeito a jogadores como o Ronaldo. Mas o futebol é como política e religião. Cada um tem sua opinião”, afirmou em entrevista coletiva no estádio San Siro.

O treinador argentino, ex-jogador do Atlético de Madrid, é ídolo do clube e dono de uma maneira própria de pensar o futebol. Ao seu modo, conseguiu levar o time a conquista de um título espanhol, desbancando Barcelona e Real, e a uma final de Liga dos Campeões depois de 40 anos, em 2014.

Perdeu para o Real e vê a chance de uma revanche hoje. Em entrevista recente, quando foi confrontado com o estilo de jogo dos times de Pep Guardiola, respondeu com uma frase direta: “Meu esporte é ganhar.”

E ganhou. Passou pelo Bayern de Guardiola na semifinal da Liga dos Campeões e colocou o Atlético de Madrid em mais uma final da Liga dos Campeões. Nas quartas, já havia eliminado o Barcelona.

No outro banco de reservas, estará também um ex-jogador e campeão da Liga dos Campeões pelo Real como atleta, em 2001. Em 2014, foi auxiliar de Carlo Ancelotti. Zidane assumiu o time em janeiro, quando Rafa Benítez foi demitido. “A pressão como jogador e treinador é diferente. E Ancelotti já me disse antes da final em Lisboa: ‘Espero que você viva essa experiência como técnico."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.