Rodrigo Jimenez/EFE
Rodrigo Jimenez/EFE

Simeone se desculpa por gesto obsceno ao festejar gol do Atlético contra Juventus

Técnico comemorou 'muito efusivamente' a vitória por 2 a 0 pela Liga dos Campeões no meio de semana

Redação, Estadão Conteúdo

23 de fevereiro de 2019 | 11h18

Um dia antes de o Atlético de Madrid enfrentar o Villarreal pelo Campeonato Espanhol, o técnico Diego Simeone resolveu pedir perdão neste sábado pelo gesto obsceno que protagonizou na comemoração do primeiro dos gols do seu time na vitória por 2 a 0 sobre a Juventus na última quarta-feira, na Espanha, no confronto de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões.

Na ocasião, o treinador se excedeu em sua celebração ao levar as mãos à região do seu órgão genital em uma atitude polêmica e da qual ele garantiu que se arrepende. "Quero pedir desculpas mais uma vez às pessoas que se sentiram ofendidas e à Juventus pelo gesto que fiz no dia do jogo, o qual, claramente, uma expressão, uma má expressão, do que eu sentia pelos meus jogadores. Em nenhum momento foi um gesto para a Juventus", afirmou o argentino, em entrevista coletiva.

Com o triunfo por 2 a 0 na última quarta-feira, o Atlético poderá até perder por um gol de diferença o confronto de volta com o time italiano, no dia 12 de março, em Turim, para avançar às quartas de final da competição continental.

Depois de abrir vantagem sobre a Juventus, o time madrilenho enfrentará o Villarreal neste domingo, às 12h15 (de Brasília), em casa, onde tentará se manter na vice-liderança do Campeonato Espanhol. A equipe tem 47 pontos e está dois à frente do Real Madrid, terceiro colocado, que em outro confronto do dia encara o Levante, em Valência. Líder disparado, com 54 pontos, o Barcelona enfrenta o Sevilla neste sábado, também atuando como visitante.

Tendo a efusividade como uma de suas marcas ao longo de sua trajetória no futebol, o técnico repetiu o gesto que fez durante uma das suas melhores fases da carreira de jogador - ex-volante, ele atuou por Inter de Milão, Atlético de Madrid e Lazio no futebol europeu, dentre outras equipes. Atualmente, ele tem 48 anos e pendurou as chuteiras em 2006, pelo Racing-ARG, equipe onde iniciou a carreira como treinador no mesmo ano.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.