Simon fará testes para a Copa de 2006

O árbitro brasileiro Carlos Simon será o único representante do País entre os candidatos escolhidos pela Fifa para participar da preparação da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha. Para tentar evitar a repetição das desastradas arbitragens que foram observadas durante a Copa de 2002, a entidade máxima do futebol optou por inovar e iniciar a preparação dos árbitros quase um ano e meio antes da competição. 46 árbitros foram escolhidos para o período de testes, oito deles da América do Sul. Mas se o Brasil conta com apenas um candidato, o mesmo não ocorre para outros países. O México, por exemplo, conseguiu colocar dois árbitros entre os candidatos. O mesmo privilégio foi dado aos australianos, espanhóis, franceses, alemães e italianos. Cada um desses países contará com dois candidatos. No total, a Europa está sendo representada por 18 árbitros, embora o italiano Pierluigi Colina, que a apitou a final em 2002 e é considerado como o melhor do mundo, não participará do Mundial diante de sua idade. O primeiro encontro entre os candidatos será entre os dias 12 e 16 de fevereiro, para um seminário em Frankfurt e para que seja explicado o que exatamente a Fifa espera da arbitragem em 2006. Haverá também um detalhado exame médico, aulas teóricas e treinamentos práticos. Um programa para desenvolver a condição física dos árbitros será lançado, que concluirá com uma "rigorosa prova de aptidão física". A Fifa ainda avisa que, durante 2005, observará "constantemente" o desempenho dos candidatos em campeonatos nacionais e internacionais. A escolha de quem irá para a Alemanha entre os 46 candidatos será anunciada no início de 2006. "Nosso objetivo é obter uma qualidade máxima", afirmou o presidente da Fifa, Joseph Blatter. "Com esse programa inédito poderemos avaliar quem são os mais capazes para prepará-los para a Copa de 2006. Desta forma, contaremos com os melhores árbitros em campo", concluiu Blatter.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.