Simplício tem receita para vencer Cobreloa

O volante Fábio Simplício tem uma receita simples para o São Paulo vencer o Cobreloa do Chile, quinta-feira no Morumbi: "Em jogos assim, tem de jogar como se fosse são-paulino e não apenas um funcionário do clube. A gente tem a obrigação de representar a torcida em campo, fazer tudo o que eles gostariam de fazer e não conseguem." Fábio Simplício ganhou status de "Deus da raça" quando brigou com o meia Diego no Brasileiro de 2002 - porque o jogador do Santos comemorou um gol pisando no escudo do São Paulo, feito de concreto, e que fica na lateral do gramado, no Morumbi. Apesar da identificação com a torcida, ele garante saber o limite entre raça e violência. "Tem de lutar muito pela vitória, mas não pode exagerar e jogar de forma violenta. Quem exagera pode ser expulso e acaba prejudicando o time." Simplício sabe da obsessão da torcida pela Libertadores. Ele se recorda da derrota para o Vélez em 1994 e de como isso influenciou na carreira de um jogador que era ídolo. "O Palhinha era um dos melhores do time e errou um pênalti. Isso acabou com a carreira dele aqui no São Paulo. Esses jogos são assim mesmo. A torcida não vê a hora de torcer pela Libertadores e nós sabemos que a melhor forma de retribuir esse carinho é com raça em campo." O técnico Cuca não vê a hora de a quinta-feira chegar. "Estou ansioso, não dá para negar. Depois de dez anos, o São Paulo volta à Libertadores e nós é que temos o privilégio de de representar esse clube tão importante." Cuca está preparado para as cobranças da Libertadores. "Esse jogo é muito especial e temos de corresponder. Nós ganhamos seis jogos e empatamos um até agora, mas na quinta-feira temos de fazer o nosso melhor jogo no ano. Temos de jogar muito bem." O técnico falou de novo da importância da torcida. "Vai ter 50 mil torcedores empurrando a gente. Isso ajuda muito. Na estréia, contra o Alianza, em Lima, tinha uns 40 mil peruanos torcendo contra nós e isso é ruim. Agora, é nossa vez de assustar o adversário." Cuca, como de costume, mantém uma dúvida para a escalação do time. Diz que vai optar entre Fábio Santos, Danilo e Souza como companheiro de Marquinhos. Fábio Santos é o preferido. Gustavo Nery, escalado na lateral, vai jogar no Werder Bremen, da Alemanha, no segundo semestre. Jean, que se transferiu para o Saturn da Rússia, treinou hoje no São Paulo, para manter a forma. Ingressos - Houve confusão no primeiro dia de venda de ingressos no Morumbi. Às 9h, horário marcado para a abertura das bilheterias, mil torcedores estavam na fila esperando a abertura dos guichês - que continuaram fechados até às 11 horas. Abertas as bilheterias, a irritação dos torcedores aumentou quando a ação dos cambistas foi notada. "O cara que estava na minha frente comprou cem ingressos. Isso não está certo", disse o gerente de vendas Silas Amaral. Além disso, não havia seguranças que organizassem a fila. Ficou fácil para que muitos tentassem furar a fila, causando protestos dos torcedores. Havia três viaturas da Polícia Militar, mas elas deixaram o Morumbi assim que as bilheterias foram abertas. Torcedores têm reclamado também que as Lojas Centauro, em vários shoppings da cidade, não iniciaram a venda de ingressos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.