Martin Alipaz/EFE
Martin Alipaz/EFE

Sindicato de jogadores apoia jogos de futebol na altitude

FIFPro apoia o presidente da Bolívia, Evo Morales, e diz que esporte não deve ser vetado em nenhum lugar

EFE,

25 de março de 2009 | 01h41

A Federação Internacional dos Jogadores Profissionais de Futebol (FIFPro) expressou nesta terça-feira ao presidente da Bolívia, Evo Morales, seu "completo apoio" à prática do futebol na altitude.

Veja também:

tabela Classificação das Eliminatórias Sul-Americanas

lista Calendário / Resultados

O espanhol Gerardo González, presidente da FIFPro, disse que o futebol na altitude é um dos pontos a serem discutidos no congresso de jogadores profissionais da América, realizado nesta semana na Bolívia.

"Sei que Morales está 100% disposto a fazer com que o futebol boliviano não leve nenhum tipo de veto. A FIFPro estará unanimemente ao lado da Bolívia", disse González.

Após uma recepção oficial aos representantes das federações de jogadores das Américas, Morales comentou que a posição da Fifa sobre a altitude tem como objetivo "marginalizar" a Bolívia, quando na realidade o futebol deve ser um modelo de integração.

Em 2008, a Fifa anunciou a proibição de disputa de jogos oficiais internacionais em locais acima dos 2.750 metros de altura. Porém, depois de o presidente da Bolívia e de outros países protestarem, a federação suspendeu temporariamente a medida para La Paz, a 3.600 metros do nível do mar.

O presidente da FIFPro convidou Morales para visitar a sede da Federação, em Amsterdã (Holanda), para tratar do assunto e explicar aos dirigentes europeus sua "cruzada" pelo futebol na altitude.

O congresso também falará sobre rescisões de contratos dos jogadores e cumprimento dos códigos de ética.

"Buscamos clareza nas negociações para mudar as situações legislativas entre clubes, jogadores e federações, e assim favorecer o futebol. É uma mudança que está sendo feita no futebol globalizado, e não tem marcha à ré", assegurou González.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.