Sindicato quer adiar clássico de segunda

O Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de São Paulo, representado pelo seu presidente, Rinaldo Martorelli, esteve nesta segunda-feira no Parque São Jorge. O ex-goleiro conversou com os jogadores do Corinthians e seu técnico, Antônio Lopes. Baseado em lei de que o intervalo entre um jogo e outro tem de ser de 66 horas tentará adiar o clássico com o São Paulo, marcado para segunda-feira, pouco mais de 48 horas após o duelo contra o Paraná, no Pacaembu, sábado.O maior empecilho do Sindicato, porém, é convencer os atletas a formalizarem pedido para mudança de datas do jogo, remarcado por causa do Escândalo do Apito. ?Até agora, os jogadores não têm posição definida. E isso complica?, adverte Martorelli. Outra dificuldade, seria encontrar nova data, num calendário tão apertado.Sobre a realização do duelo com portões fechados e transmissão da TV aberta, para evitar novas brigas entre torcedores ? foram mortes entre domingo e nesta segunda ?, Martorelli deixou claro ser contra. ?A torcida não pode ser lesada. E o Estatuto do Torcedor não permite?, observou. ?Deixa o São Paulo para lá, estamos pensando no Pumas, quarta-feira (pela Copa Sul-Americana, no Pacaembu)?, afirmou, num primeiro momento, o zagueiro Betão, que vai completar 100 jogos pelo time e somente nos infantis jogou com menos de dois dias de descanso. ?Vamos conversar (jogadores) e ver o que será feito. Mas vamos respeitar os superiores. Afinal, nossa opinião não interfere?, acredita. ?Cumpriremos o determinado.?

Agencia Estado,

17 de outubro de 2005 | 21h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.