Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Síndrome dos empates incomoda S. Caetano

A síndrome dos empates voltou a atormentar o São Caetano. Neste Paulistão, não há quem mais tenha empatado do que o Azulão: em cinco jogos foram quatro empates, o último deles diante do Oeste, domingo, em 2 a 2, na cidade de Itápolis. O empate era a marca registrada dos tempos em que o time era dirigido por Mário Sérgio, mas chegou a mudar com Tite, já no Campeonato Brasileiro do ano passado.O motivo do empate com o Oeste, é unanimidade entre os jogadores do Azulão: a desatenção. "Depois que fizemos 2 a 0, não conseguimos manter a concentração e acabamos sofrendo o empate. O Oeste veio para cima e conseguiu marcar duas vezes. Méritos para eles", disse o zagueiro Thiago, após a partida.Para o técnico Tite, estes empates não têm ligação com a queda de rendimento físico do time no segundo tempo. O Azulão sofreu gols na parte final dos jogos contra o Guarani e Oeste. "Não há ligação entre a parte física e a queda técnica", garante o treinador.Ainda invicto no Campeonato Paulista, o São Caetano só venceu na estréia, por 3 a 2, o Mogi Mirim. Depois disso, ficou na igualdade com Santos e Guarani (1 x 1), no clássico do ABC contra o Santo André (0 x 0) e os 2 a 2 com o Oeste no último domingo. A seqüência prejudicou o Azulão na tabela, onde ocupa o sexto lugar no Grupo 2, com sete pontos e fora da zona de classificação.A próxima partida acontecerá domingo, em casa, contra o Marília. O único desfalque será o volante Marcelo Mattos, que recebeu o terceiro cartão amarelo. Por outro lado, Fábio Santos, que cumpriu suspensão, estará de volta. O zagueiro Gustavo e o volante Mineiro também devem ser liberados pelo departamento médico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.