Situação complica para Argel

Com o clube tendo inúmeros problemas com a saída de Marco Aurélio, Argel criou um novo e desnecessário caso neste sábado no Centro de Treinamento da Barra Funda. O jogador, que havia sido afastado pelo ex-treinador, resolveu se reintegrar sem pedir permissão a ninguém. Argel deveria fazer seus exercícios físicos longe dos companheiros. Mas ele resolveu participar do treino recreativo e jogar com o restante da equipe como se nada estivesse acontecendo.Desafiando a autoridade do coordenador de futebol e técnico improvisado, Márcio Araújo, Argel entrou em campo. Jogou por quase vinte minutos até que Araújo que estava nos vestiários fosse avisado e o mandasse sair. O zagueiro ficou irritado e teve de ser tranqüilizado pelo preparador físico Carlos Pacheco."O Argel só conseguiu piorar e muito a sua situação aqui no Palmeiras. O jogador precisa respeitar a hierarquia. Ele havia sido afastado e precisava mostrar um comportamento bem diferente do que assumiu aqui. Com certeza será punido. O caso será passado para a direção do clube. Isso é que o temos de fazer", dizia, tenso, Márcio Araújo.A situação de Argel no Palmeiras já é péssima. O presidente Mustafá Contursi ficou bastante nervoso ao saber, por parte de Marco Aurélio, que o zagueiro não o respeitava. Mustafá considerou isso um péssimo exemplo ao restante da equipe. Ao saber que o afastamento não estava acontecendo na prática, o dirigente não se conformou. São cada vez menores as chances de Argel voltar a vestir a camisa do Palmeiras. Ele mesmo se sabotou. Celso Roth, que negocia a sua contratação como técnico, já havia pedido a reintegração do jogador. Mas depois deste sábado Argel poderá ser até devolvido à Parmalat. O grande entrave é o contrato que ele tem com o clube até o final do ano.Marcos, Galeano e Alex chegaram a pedir no começo da semana a reintegração do amigo Argel. A pressão pela volta do jogador era tanta que Marco Aurélio chegou a implorar pelas contratações de Leonardo do Coritiba e de Alexandre do Vitória de Guimarães para que ele não tivesse mais espaço no Palmeiras. O treinador não queria mais nem ver o jogador por considerar que ele o desrespeitava.Argel, que gosta do apelido de Dragão, a ponto de colocá-lo no recado da secretária eletrônica de seu celular, resolveu não explicar suas atitudes aos jornalistas. Mas ele sabe que seu espaço praticamente acabou no Palmeiras. Seu único apoio está na torcida Mancha (Alvi) Verde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.