SJTD abre inquérito contra Atlético-PR

Um inquérito para apurar a denúncia de suborno que o Atlético-PR teria feito ao Vasco foi instaurado nesta sexta-feira, pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Luiz Zveiter, após a representação formalizada pelo presidente do clube carioca, Eurico Miranda. O auditor Rubens Approbato foi designado para comandar as investigações e terá 15 dias para decidir se denuncia o time paranaense."O Vasco denunciou fatos graves, que merecem ser investigados. Não podemos ignorá-los", disse o presidente do STJD. "Agora, o doutor Approbato vai investigar e decidirá se denuncia ou não." Zveiter contou que o presidente do Vasco relatou ter sido procurado na terça-feira, em seu gabinete, por Paulo Almeida, um suposto emissário do presidente da Federação Estadual de Futebol do Paraná, Onaireves Moura. Na ocasião, foi oferecido R$ 1 milhão para que o time carioca "complicasse" a partida de domingo, contra o Santos, com o objetivo de o Atlético-PR permanecer com chances de conquistar o título do Campeonato Brasileiro.Eurico Miranda reafirmou no documento apresentado ao STJD que recusou a oferta e ainda citou ter por testemunha do encontro o assessor da presidência do Vasco, Ricardo Pereira de Vasconcellos. Diante de sua recusa, o dirigente revelou que no dia seguinte o assédio foi sobre o meia Petkovic.De acordo com o presidente do Vasco, Petkovic afirmou ao vice-presidente de futebol do clube, José Luis Moreira, ter sido procurado por um jogador e um dirigente do Atlético-PR, que teriam lhe oferecido R$ 1 milhão. Ele poderia ficar com R$ 200 mil e o restante seria dividido entre os companheiros do elenco vascaíno.Na representação feita nesta sexta-feira, Eurico Miranda revelou ainda que Petkovic denunciou outros assédios do Atlético-PR feitos aos jogadores do Vasco. Citou o meia Morais, ex-jogador vascaíno e hoje no time paranaense, como um dos portadores das propostas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.