Só Kia segura Passarella no Corinthians

O iraniano Kia Joorabchian, presidente da MSI, está bancando sozinho a permanência do técnico Daniel Passarella no Corinthians. A pressão contrária, no entanto, pode se tornar insuportável em caso de novo fracasso domingo, contra o São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro.Dirigentes como o vice-presidente de futebol do clube, Andres Sanchez, ajudam a desestabilizar o treinador argentino no cargo. "Alguma coisa tem de ser feita", disse ele, após a desclassificação na Copa do Brasil para o Figueirense, na quarta-feira - o Corinthians perdeu por 2 a 0 no tempo normal e por 3 a 2 nos pênaltis.Segundo os dirigentes corintianos, o primeiro erro do treinador foi ter dispensado o goleiro titular Fábio Costa na véspera da importante partida. "Tomou a decisão antes de nos consultar e vai ter de se responsabilizar por isso", afirmou Andres Sanchez. E a segunda falha foi não escalar o meia Roger como titular contra o Figueirense. O desejo de mudanças no comando da equipe, porém, dificilmente abalará as convicções de Kia. Principal responsável por trazer o treinador, ele o admira desde os tempos de zagueiro e capitão da seleção argentina. Tanto é verdade que a diretoria corintiana queria manter Tite, adorado no Parque São Jorge, mas o presidente da MSI, contra tudo e contra todos, derrubou-o no fim de fevereiro para colocar Passarella no cargo.Kia deixou claro ainda que o objetivo traçado para 2005 é o de ficar entre os quatro primeiros colocado no Brasileiro (e assim garantir vaga na Copa Libertadores de 2006). A Copa do Brasil, portanto, nunca foi a meta.Mas bastou ocorrer a eliminação em Florianópolis para os descontentes começarem a se movimentar. "Estou indo agora para o Parque São Jorge pedir a queda do Passarella", chegou a dizer, no início da tarde desta quinta-feira, o vice-presidente de Relações Públicas do clube, Francisco Papaiordanou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.