Só Tiago ficou para se explicar

Enquanto os galácticos fugiram correndo para o vestiário, sem dar entrevistas, coube ao jovem Tiago a função de tentar explicar a desclassificação na Copa do Brasil. ?Não sei nem o que falar. Queríamos muito essa classificação. Tentamos. Não deu?, disse, chorando.Aos 21 anos, ele fez ontem seu segundo jogo como profissional, substituindo o barrado Fábio Costa. ?Para a gente que vem de baixo, essa derrota é muito complicada. Vamos ver agora se no Brasileirão a gente consegue a vaga na Libertadores.?Ele evitou falar em início de crise. ?Isso não existe. Temos que pensar no jogo de domingo contra o São Paulo.?O meia Roger, um dos três corintianos que desperdiçaram pênaltis, deu uma alfinetada no técnico Passarella. Barrado do time titular, ele só entrou na partida aos 19 minutos do segundo tempo, no lugar de Coelho. ?Entrei com o jogo já decidido?, disse Roger.Antes, no intervalo, ele já havia comentado sobre seu afastamento do time titular. Questionado sobre isso, o ?galáctico? respirou fundo, contou até 10 e tentou responder à pergunta da maneira mais pacífica possível. Sabia que uma declaração polêmica poderia atrapalhar ainda mais sua situação com Daniel Passarella, técnico que gosta de acompanhar nos jornais as opiniões de seus jogadores. Roger, porém, não conseguiu esconder sua surpresa com a reserva.Roger teve de acordar cedo - ?Não entendi e ele (Passarella) não me falou nada. Mas se é uma opção do técnico visando o melhor para o time, tenho que acatar.? Ele já havia sido barrado da equipe por Passarella por duas semanas em março com a justificativa de que estaria fora de forma.O meia contou como recebeu a notícia de que não seria titular contra o Figueirense: ?Fiquei sabendo de manhã, quando fui acordado para treinar.?Roger achava que poderia dormir até tarde, mas teve que se levantar logo cedo para fazer um treinamento físico com os outros reservas na fria manhã de Florianópolis ? Passarella trouxe para o Corinthians o costume europeu de treinar a equipe mesmo em dias de jogos.Outro jogador que se surpreendeu ao ser colocado no grupo dos reservas foi o zagueiro Betão. Autor de um pênalti infantil contra o Botafogo, ele foi trocado por um volante, Wendel, que teve de jogar improvisado na zaga. O reserva imediato da posição era Marinho, mas ele teve de ir às pressas para Santos para resolver problemas particulares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.