Só vitória alivia situação na Ponte

Três derrotas consecutivas deixaram em baixa o astral da Ponte Preta que, agora, se encontra numa situação bastante delicada precisando vencer o Etti Jundiaí, sábado à tarde, em Campinas, pelo Torneio Rio-São Paulo. Mas o que não faltam são problemas para o técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, que só deve confirmar a escalação momentos antes do jogo. Depois de um bom início na competição, quando chegou à liderança, a Ponte Preta perdeu várias posições nas últimas duas rodadas após as derrotas para o São Paulo, por 4 a 1, e para o São Caetano, por 3 a 2. Com 13 pontos, a Ponte ocupa a sétima posição. "Temos de ganhar, de um jeito ou de outro. Não há saída", explicou Vadão. O time ainda sofreu outra derrota, quarta-feira, pela Copa do Brasil, perdendo para o Juventude, por 2 a 0, em Caxias do Sul-RS, na abertura da segunda fase. No jogo de volta, dia 13, a Ponte terá que vencer por três gols de diferença para continuar sonhando com o título. Mas para se reabilitar na temporada, a Ponte Preta tem vários problemas. O principal deles é a ausência do artilheiro Washington, que cumprirá suspensão automática por sua expulsão diante do São Caetano. O volante Mineiro, que não enfrentou o Juventude, tem seu retorno assegurado. Em contra-partida, o meia Marquinhos foi suspenso por dois jogos por sua expulsão diante do Vasco da Gama, ainda na primeira rodada. O experiente zagueiro Ronaldão, com tendinite, deve continuar de fora do time. As opções de jogo serão testadas nesta sexta-feira pela manhã, quando Vadão comandará o coletivo. No meio-campo, as opções são Adrianinho e Humberto. No ataque, Lucas é o mais cotado para substituir Washington, artilheiro do time no Rio-São Paulo, com oito gols.

Agencia Estado,

07 Março 2002 | 17h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.