Sob clima tenso, Chapecoense faz confronto contra o rebaixamento com a Ponte

Após eliminação da Copa Sul-Americana, equipe volta as atenções para o Campeonato Brasileiro

Estadao Conteudo

24 de setembro de 2017 | 06h59

Não houve tempo para lamentações em Santa Catarina. Depois de ser goleada e eliminada pelo Flamengo por 4 a 0 nas oitavas da Copa Sul-Americana, a Chapecoense volta as atenções para o duelo com a Ponte Preta neste domingo, às 16 horas, pela 25.ª rodada do Campeonato Brasileiro. O jogo na Arena Condá é um confronto direto contra o rebaixamento, já que os dois times estão com 28 pontos, a um ponto da degola.


Só que o clima no time catarinense é péssimo. O trabalho da última sexta-feira terminou com um desentendimento entre o técnico interino Emerson Cris e o goleiro reserva Artur Moraes. Durante um exercício de campo reduzido, o técnico passou algumas orientações sobre saída de bola, que não foram muito bem aceitas pelo jogador, que chegou a responder o comandante e abandou o treino. O goleiro foi para o vestiário, trocou de roupa e deixou o CT da Água Amarela mais cedo, sem dar justificativas.


Na coletiva de imprensa, Emerson Cris preferiu colocar panos quentes na situação: "É uma coisa natural de treino, temos 30, 40 jogadores, sempre acontece. Não adianta polemizar uma situação dessa, tem troca de informação a todo momento. Mostra que todos querem coisa bacana para o jogo".


Alheia à discussão, o interino Emerson Cris tem apenas uma baixa confirmada para enfrentar a Ponte. O zagueiro Douglas Grolli recebeu o terceiro cartão amarelo na vitória por 1 a 0 contra o Grêmio no último final de semana. Com isso, Douglas, que chegou recentemente emprestado pelo São Paulo, assume a posição ao lado de Fabrício Bruno. Luiz Otávio, que também é uma alternativa, deve começar apenas no banco de reservas.


O trio de ataque, formado por Wellington Paulista, Arthur e Penilla, foi poupado dos exercícios com bola na última sexta. Eles ficaram apenas correndo em volta do gramado. Túlio de Melo, que finalmente se recuperou das dores no quadril, foi liberado pelo departamento médico e pode retomar a sua vaga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.