Toru Hanai/Reuters
Toru Hanai/Reuters

Sob condições, suspensão da Rússia da Paralimpíada por doping chega ao fim

País está de volta à competição, mas terá de fazer exames extras para ter representantes em Tóquio

Redação, Estadão Conteúdo

15 de março de 2019 | 10h38

A Rússia está de volta aos Jogos Paralímpicos. Nesta sexta-feira, o Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês) suspendeu formalmente a punição aos russos, embora tenha determinado a realização de testes extras aos atletas para competirem em Tóquio-2020, além de ter estabelecido um período probatório até 2022.

Além dos exames antes das competições, que precisarão ser bancados pelo próprio país, o IPC impôs outras condições, como a proibição de participação de agentes governamentais no Comitê Paralímpico da Rússia (RPC).

"Estamos ansiosos para receber o RPC de volta como um membro do IPC", disse o presidente do IPC, Andrew Parsons. "A organização não deve ter qualquer ilusão, porém, de que em qualquer fase pós-reintegração, o conselho de administração do IPC pode reconsiderar seu status de associado. Isso poderia incluir a revogação pelo IPC revogando da condição de reintegração."

A Rússia precisará bancar uma conta de mais de US$ 1 milhão (aproximadamente R$ 3,8 milhões), incluindo US$ 125 mil (R$ 475 mil) por ano para exames antidoping extras em 2020, 2021 e 2022. Atletas de 26 dos 27 esportes paralímpicos precisarão mostrar que foram testados nos seis meses anteriores aos principais eventos do IPC, incluindo os classificatórios para os Jogos. No levantamento de peso, classificado como esporte de maior risco, três testes anteriores serão necessários.

A Rússia foi barrada dos Jogos Paraolímpicos de 2016, no Rio, após o IPC apontar fraudes generalizadas. No entanto, 30 atletas do país foram autorizados a competir como neutros na Paralimpíada de Inverno de Pyeongchang, na Coreia do Sul, no ano passado.

Uma investigação em 2016, liderada por Richard McLaren, apontou acobertamento de casos de doping na Rússia. Hoje, o atletismo é o único esporte com punição por causa disso, embora permita a participação de competidores como neutros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.