Fábio Motta / Estadão Conteúdo
Fábio Motta / Estadão Conteúdo

Sob desconfiança, Flamengo busca na Colômbia uma vaga na final da Sul-Americana

Sem Diego Alves, Rueda tenta encontrar goleiro que transmita segurança à equipe

Marcio Dolzan, Estadão Conteúdo

30 Novembro 2017 | 08h06

Um Flamengo sob desconfiança encara o Junior Barranquilla, no estádio Metropolitano Roberto Meléndez, em Barranquilla, na Colômbia, nesta quinta-feira, a partir das 22h30 (de Brasília), em busca de uma inédita final de Copa Sul-Americana. Depois de vencer a partida de ida na semana passada por 2 a 1, o time rubro-negro precisa de um empate para chegar à decisão. A vantagem é mínima, ainda mais se for considerada a pressão da torcida local e a fase péssima por que passa o goleiro Alex Muralha.

+ Flamengo embarca para 'decisão' na Colômbia e torcedores hostilizam Muralha

+ Jogadores já sabem, mas Rueda faz mistério sobre goleiro do Flamengo na Colômbia

Não se sabe ainda se Alex Muralha vai para o jogo. O goleiro seria a opção mais óbvia após a confirmação da lesão na clavícula do titular Diego Alves, mas as falhas recorrentes - principalmente diante do Santos, no último domingo - tiraram a tranquilidade dele, da torcida e do técnico colombiano Reinaldo Rueda. O problema é que as outras duas opções são os pratas da casa Cesar e Thiago. E Cesar, o primeiro substituto, não faz uma partida oficial pelo clube desde dezembro do ano passado.

Entre os jogadores, o discurso é de apoio e confiança em Alex Muralha. "Sei da grande pessoa que é o Alex (Muralha). É um grande profissional, um grande goleiro. Não foi à toa que foi convocado para a seleção", disse o colombiano Cuellar, na chegada do time a Barranquilla. "Estamos juntos, se for o goleiro titular vamos apoiar. E se for o César, também vamos apoiar".

A partida está marcada às 19h30 locais e o Flamengo faria o único treino no palco do jogo nesta quarta-feira no mesmo horário. A definição do time passaria por essa última atividade, mas, à exceção do gol, o técnico não deverá ter dúvidas no restante da equipe, que deverá ser o mesmo do duelo de ida.

No Junior Barranquilla, impera a confiança na classificação. O time deverá ter o apoio de um estádio lotado e para avançar precisa de uma vitória simples por 1 a 0 - neste caso, iria à final graças ao gol qualificado.

O lateral-esquerdo Germán Gutiérrez pediu atenção ao time. "Você deve fazer um jogo sério e ser muito atento aos contra-ataques porque eles (Flamengo) são muito rápidos", disse o jogador, que definiu ainda o jogo aéreo do time brasileiro como "a principal força" da equipe. Na semana passada, os dois gols do time surgiram em jogadas pelo alto.

Germán Gutiérrez também demonstrou que o time colombiano esta a par da polêmica envolvendo Alex Muralha. "Percebemos que quando seu goleiro (Diego Alves) se machucou a desconfiança aumentou, não só em seus colegas de equipe, mas em todo o estádio", disse o lateral-esquerdo. "Mas ele (Muralha) vem e pode ser o destaque. O futebol é muito relativo. Devemos nos concentrar no nosso trabalho".

Mais conteúdo sobre:
futebol Copa Sul-americana Flamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.