Lucas Merçon/Fluminense
Lucas Merçon/Fluminense

Sob desconfiança, Fluminense tenta passar sem sustos pelo Defensor

Tricolor carioca venceu por 2 a 0 no jogo de ida, mas vem de derrota por 3 a 0 para o Internacional no Brasileirão

Estadão Conteúdo

16 Agosto 2018 | 07h06

Depois de uma derrota por 3 a 0 para o Internacional, com uma série de erros defensivos, em jogo válido pelo Brasileirão, o Fluminense intensificou o sentimento de desconfiança da torcida. Na missão de compensar a dura derrota, o time vai a campo às 21h45 desta quinta-feira com uma boa vantagem sobre o Defensor, pela partida da volta da segunda fase da Copa Sul-Americana, no estádio Luiz Franzini, em Montevidéu.

O jogo de ida, no Maracanã, terminou com uma vitória por 2 a 0 para o time carioca. Com isso, a equipe brasileira consegue a vaga nas oitavas de final mesmo se perder por 1 a 0. Caso perca por dois gols de diferença e consiga balançar a rede, também avança, uma vez que o gol fora de casa conta como critério de desempate. O único resultado que leva a decisão aos pênaltis é uma vitória por 2 a 0 para o Defensor, que precisa vencer por três no saldo para passar direto.

Apesar do bom resultado conquistado na primeira partida, o técnico Marcelo Oliveira e os jogadores tratam a situação com muito cuidado. Perder a vaga nas oitavas dentro de um cenário até então positivo pode desencadear em uma crise difícil de controlar. No elenco, o discurso é o de corrigir as falhas, já que foram muitas contra o Internacional. "Temos que aprender com as lições dos erros que cometemos e digerir o que aconteceu", alertou o goleiro Júlio César.

O treinador tricolor não deve fazer muitas alterações no time. Airton chegou a ser dúvida após torcer o tornozelo no duelo com o time gaúcho, mas se recuperou bem e foi relacionado. Com isso, a única mudança provável é no ataque, com a saída de Júnior Dutra para a entrada de Matheus Alessandro.

Do lado do Defensor, a preocupação é grande, mas existe uma certa confiança. Ciente da dificuldade de vencer por três gols, o técnico Eduardo Acevedo deu atenção especial às cobranças de pênalti durante os treinamentos. "Tem que estar tudo preparado caso a gente consiga levar a disputa para os pênaltis. Mas imagino uma partida diferente, com a gente no ataque", afirmou o volante Pablo López.

O treinador da equipe uruguaia tem uma dúvida. Ele ainda não sabe se vai contar com o meio-campista Ayrton Cougo, que se lesionou justamente no primeiro jogo contra o Fluminense, mas deu sinais de recuperação. Caso o jogador seja vetado, a vaga deve ficar com Martín Correa.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.