Paulo Fernandes/Vasco.com.br
Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Sob forte calor, Vasco leva gol no final e perde para a Cabofriense no Carioca

Cruzmaltino volta a ser derrotado na competição com revés por 2 a 1

Ricardo Magatti, especial para o Estadão Conteúdo

24 Janeiro 2018 | 19h22

Sob forte calor no estádio Elcyr Resende de Mendonça, em Saquarema (RJ), o Vasco não resistiu à Cabofriense e conheceu a sua segunda derrota em três jogos na Taça Guanabara - o primeiro turno do Campeonato Carioca. O time de Cabo Frio (RJ) conseguiu a vitória por 2 a 1 com um belo gol de Levi, aos 45 minutos da etapa final.

+ TEMPO REAL - Cabofriense 2 x 1 Vasco

Especulado no São Paulo, o meia Nenê marcou de pênalti o único gol vascaíno. Antes, a Cabofriense, que conquistou a sua primeira vitória no torneio, abriu o placar com Victor Silva, em falha do goleiro Gabriel Félix.

Com o resultado, o Vasco estaciona nos três pontos, em três rodadas disputadas, e ocupa a quarta posição do Grupo B. A terceira colocada, logo à frente, é justamente a Cabofriense, que agora soma quatro pontos. Flamengo e Bangu, que se enfrentam nesta quarta-feira, são líder e segundo colocados da chave.

Sob forte calor - os termômetros chegaram a marcar 33 graus no começo da partida, às 17 horas - as duas equipes tiveram dificuldade para imprimir um ritmo forte, especialmente o Vasco, que teve menos dias de pré-temporada que o adversário.

Mesmo assim, liderado por Nenê, que despertou interesse do São Paulo e pode deixar o clube carioca, o time vascaíno teve as melhores chances nos primeiros minutos. Uma com o próprio meia, que acertou belo chute no travessão, e a outra com o volante Bruno Paulista, em cobrança de falta perigosa.

No entanto, a Cabofriense foi letal e marcou na única oportunidade que havia criado até então. O gol saiu de uma falha do goleiro Gabriel Félix, que não conseguiu espalmar para o lado cobrança venenosa de falta de Paulo Sérgio e deu rebote para Victor Silva marcar.

Com a possibilidade de mudar o time cinco vezes, o que não passará mais a valer a partir da próxima rodada, o técnico Zé Ricardo mexeu logo duas vezes após o intervalo. As mudanças, porém, não tiveram nem tempo para surtir efeito, já que aos três minutos Nenê foi tocado na área e o árbitro marcou pênalti. O meia cobrou com categoria e empatou a partida.

Sentindo muito os efeitos do clima quente, as duas equipes pouco fizeram no segundo tempo. Mesmo com alguns jogadores "descansados" em campo, os dois times esbarravam, além do calor, na quantidade alta de passes errados.

Os minutos finais, porém, guardaram mais um gol. Quando se esperava que o empate seria o resultado final, a Cabofriense voltou a pressionar e com um belo gol do meia Levi, que acertou um chute indefensável, voltou à frente do placar aos 45 minutos e conseguiu sair com a vitória de Saquarema.

FICHA TÉCNICA

CABOFRIENSE 2 x 1 VASCO

CABOFRIENSE - George; Paulo Sérgio (Leomir), Victor Silva, Leandro Euzébio e Airton; Levi, Maranhão, Kaká Mendes (Lauro César) e Davi Ceará (Marcelo Gama); Bruno Tubarão (Willian Bersan) e João Carlos (Cláudio Pitbull). Técnico: Antônio Carlos Roy.

VASCO - Gabriel Félix; Rafael Galhardo (Rafael França), Luiz Gustavo, Ricardo e Alan (Henrique); Bruno Paulista (Lucas Santos), Andrey e Nenê; Guilherme (Paulo Vitor), Rildo (Marrony) e Caio Monteiro. Técnico: Zé Ricardo.

GOLS - Victor Silva, aos 34 minutos do primeiro tempo; Nenê (pênalti), aos 5, e Levi, aos 45 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Airton, Davi Ceará e Leandro Euzébio (Cabofriense); Bruno Paulista e Ricardo (Vasco).

ÁRBITRO - Rodrigo Nunes de Sá.

RENDA - R$ 45.700,00.

PÚBLICO - 1.650 pagantes (2.071 no total).

LOCAL - Estádio Elcyr Resende de Mendonça, em Saquarema (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.