Vítor Silva/ Botafogo
Vítor Silva/ Botafogo

Sob olhares de Ramón Díaz, Botafogo faz confronto de ameaçados com o Bahia

Equipes ocupam posições vizinhas na tabela de classificação e estão muito próximas à zona de rebaixamento

Redação, Estadão Conteúdo

08 de novembro de 2020 | 15h10

Há menos de 40 dias, Bahia e Botafogo se enfrentaram no Rio, pelo Brasileirão, lutando para fugir da zona do rebaixamento. Os visitantes ganharam e saíram da degola. Neste domingo, às 18h15, as equipes se reencontram, na Fonte Nova. E novamente será um confronto direto, agora para não voltar ao grupo de queda. Sob olhares de Ramón Díaz, seu quarto treinador na competição, os cariocas tentam se reerguer após queda na Copa do Brasil e a volta às últimas posições no Nacional.

O treinador argentino chega ao Botafogo apenas com uma missão: evitar o rebaixamento no Brasileirão. Mas ainda não dirige o clube em Salvador. Flávio Tenius terá a terceira tentativa de somar a primeira vitória.

Resgatar o moral dos jogadores é a grande tarefa para o experiente preparador de goleiros que se aventura na direção do time. O elenco sentiu muito o baque da eliminação no Mato Grosso. Muitos jogadores ficaram deitados no gramado da Arena Pantanal, na terça-feira, após o vexame. Incrédulos e cabisbaixos.

Sem tempo para lamentações, o Botafogo necessita de um resultado positivo neste domingo. A equipe tem apenas um ponto a mais que o primeiro da zona de rebaixamento. O Bahia está atrás dos cariocas e pode repetir a "ultrapassagem do primeiro turno.

No jogo em 30 de setembro, os baianos fizeram enorme estrago no Engenhão. Eram lanterna, ganharam e deixaram a zona de rebaixamento. De quebra, ainda afundaram os cariocas na 18ª colocação. Paulo Autuori foi demitido após aquele revés por 2 a 1. Desde então, o clube já foi dirigido por Bruno Lazaroni e Flávio Tenius, que se despede neste domingo, passando o bastão ao argentino.

O japonês Honda, há nove meses no Brasil, cobrou união de todos, desde direção até torcida, para o bem do clube. Ele pede para o clube diminuir gastos, ajustar as finanças e, em campo, focar para a permanência na elite. A mensagem foi, na verdade, parte de juras de amor ao Botafogo. O japonês usou suas redes sociais para se declarar ao clube carioca.

Não quer, contudo, amargar mais sofrimento e decepções. Ele lamentou não poder ajudar na Copa do Brasil e espera dar contribuição para o time devolver a derrota aos baianos e abrir quatro pontos do sufoco. O problema para Tenius são os desfalques provocados pelo coronavírus. O goleiro Diego Cavalieri e o atacante Warley foram infectados e não poderão atuar. Saulo será o titular da meta botafoguense, com Pedro Raul e Kalou disputando uma vaga na frente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.