Glyn Kirk/ AFP
Glyn Kirk/ AFP

Sob pressão da torcida, Chelsea ganha após saída de Mourinho

Diego Costa e Cesc Fabregas são vaiados pela torcida

Estadão Conteúdo

19 de dezembro de 2015 | 15h12

O Chelsea entrou em campo extremamente pressionado neste sábado. Além da péssima campanha no Campeonato Inglês, o clube havia vivido a demissão de um grande ídolo da torcida, José Mourinho, há dois dias. Mesmo com todos estes ingredientes e com o Stamford Bridge entoando o nome do português durante todo o confronto diante do Sunderland, o time londrino mostrou evolução e conseguiu uma importante vitória por 3 a 1.

O resultado serviu para o Chelsea respirar um pouco. Depois de entrar na rodada correndo o risco de entrar na zona de rebaixamento, a equipe subiu para 18 pontos e ocupa a 15ª colocação. O Sunderland, por sua vez, segue vivendo um pesadelo e é o penúltimo, com apenas 12 pontos.

O clima em Stamford Bridge não poderia ser pior. Os torcedores tomaram as dores de Mourinho e deixaram claro que estavam do lado do português. Seu nome foi cantado durante boa parte do duelo, principalmente quando alguns dos jogadores apontados como seus desafetos, como Diego Costa e Fàbregas, pegavam na bola. Outro muito criticado foi Hazard, mas o belga nem estava relacionado para o jogo. Nas arquibancadas, aliás, se via diversas faixas exaltando o treinador e hostilizando estes jogadores.

Nas tribunas, o novo técnico do Chelsea, Guus Hiddink, acompanhava a partida ao lado dono do clube, Roman Abramovich, e do ídolo Didier Drogba. Eles não demoraram a comemorar, porque logo aos seis minutos Ivanovic aproveitou bola alçada na área para escorar e marcar o primeiro.

Foi o suficiente para tranquilizar os londrinos, que, mais soltos, chegaram ao segundo gol pouco depois. Após boa jogada pelo lado direito, Pedro aproveitou o bate-rebate na área para finalizar firme para a rede.

O segundo tempo teve o mesmo panorama e o Chelsea não demorou para definir o confronto. Aos cinco minutos, Willian sofreu pênalti. Oscar, um dos destaques da partida, cobrou para fazer o terceiro. Nem o gol de Borini, pouco depois, assustou o time londrino.

Se o Chelsea deu uma pausa na crise e venceu, o Manchester United viveu situação oposta. Diante da intensa pressão sobre o técnico Louis van Gaal, principalmente após a eliminação precoce na Liga dos Campeões, o time caiu diante do Norwich em pleno Old Trafford, por 2 a 1.

Com o resultado, o Manchester caiu para a quinta colocação, com 29 pontos, agora fora da zona de classificação para a Liga dos Campeões. Já o Norwich respirou um pouco e conseguiu deixar a zona de rebaixamento, chegando a 17 pontos, em 16º.

O Norwich abriu o placar neste sábado com Cameron Jerome, que dividiu com a defesa, levou a melhor e tocou na saída do goleiro De Gea, aos 38 minutos. O segundo saiu aos nove da etapa final. Tettey aproveitou contra-ataque rápido e bateu firme no canto. O Manchester ainda esboçou uma reação e marcou aos 21, com Martial, mas parou por aí.

LEICESTER DISPARA

A grande sensação deste Campeonato Inglês continua sendo o Leicester. O surpreendente líder da competição tinha parada dura pela frente neste sábado, em Liverpool, contra o Everton, mas mostrou por que ocupa a ponta da tabela ao vencer por 3 a 2.

O resultado levou o Leicester aos 38 pontos, agora cinco à frente do vice-líder Arsenal, que ainda atua na rodada. O Everton, por sua vez, ocupa o meio da tabela e é o décimo, com 23 pontos.

O destaque do triunfo deste sábado foi o argelino Mahrez, que marcou duas vezes, ambas de pênalti. A primeira, aos 26 minutos. Lukaku ainda empatou, mas o atacante do Leicester voltou a aproveitar uma penalidade para recolocar o time à frente aos 20 da etapa final. Okazaki ampliou quatro minutos depois e Mirallas selou o placar aos 43.

Nas outras partidas já encerradas pelo Inglês neste sábado, destaque para o Tottenham que venceu o Southampton por 2 a 0, mesmo fora de casa, e subiu para quarto. Também fora de casa, o Crystal Palace derrotou o Stoke City por 2 a 1 e o Bournemouth passou pelo West Bromwich, pelo mesmo placar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.