Gilvan de Souza / Flamengo
Gilvan de Souza / Flamengo

Sob pressão, Flamengo mira vitória contra América-MG na despedida de Julio Cesar

Mais de 40 mil ingressos foram vendidos para último jogo da carreira do ídolo rubro-negro

Estadão Conteúdo

21 de abril de 2018 | 07h46

Pressionado pelos maus resultados recentes, o Flamengo tem um motivo especial para derrotar o América-MG e conquistar a primeira vitória no Campeonato Brasileiro neste sábado, às 19 horas, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. O confronto, válido pela segunda rodada da competição, marca a despedida dos gramados do goleiro e ídolo do clube Julio Cesar.

+ Rodinei pede calma ao torcedor do Flamengo: 'As vitórias vão chegar'

+ Corinthians, Palmeiras, Flamengo e Vasco decidem em casa na Copa do Brasil

A torcida, que intensificou os protestos após o empate em 1 a 1 com o Independiente Santa Fe, da Colômbia, na última quarta-feira, pela Copa Libertadores, deixou de lado a má fase do time e estará presente em peso no Maracanã para ver os últimos minutos em campo de Julio Cesar. Quase 40 mil ingressos foram vendidos antecipadamente para a partida.

"Quando o livro fechar e eu olhar toda história que construí no futebol, o que mais quero é ter deixado algo de positivo. Saio na rua e algumas pessoas falam que colocaram o nome do filho de Julio Cesar por causa de mim, isso não tem preço. Espero fechar esse livro deixando algum ensinamento no futebol e na vida", disse o goleiro.

Antes de sua última partida oficial, o ídolo flamenguista mostrou humildade e disse que a grande presença da torcida no duelo se dá pelo Flamengo e não só pela sua despedida. "O jogo coincide com um período importante da minha carreira, mas o Flamengo é maior que o Julio Cesar. O torcedor vai para apoiar o Flamengo e não só o Julio Cesar", opinou.

Dois jogadores considerados titulares do meio de campo não poderão estar com Julio Cesar neste sábado. Como foi expulso no polêmico duelo contra o Vitória, Everton Ribeiro cumpre suspensão e desfalca a equipe, assim como Diego, que teve constatada uma lesão muscular na coxa direita nesta sexta-feira e, segundo o clube, ainda não tem prazo de retorno estipulado.

Com isso, o técnico interino Maurício Barbieri deve mudar o esquema que vinha utilizando e colocar o volante Willian Arão e o meia Geuvânio entre os titulares. Suspensos por brigarem em campo no ano passado, o zagueiro Rhodolfo e o centroavante Felipe Vizeu também não jogam e o colombiano Berrío, se recuperando de uma grave lesão no joelho, ainda segue fora dos gramados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.