Sob pressão, Guarani encara o Vasco

O sonho de somar pontos em casa, no Estádio Brinco de Ouro, virou pesadelo. Depois da eliminação na Copa do Brasil, o Guarani tem de se superar diante do Vasco, neste domingo, às 16 horas, em Campinas, pelo Torneio Rio-São Paulo, para escapar da pressão dos torcedores. O técnico Zé Mário até admite protestos, mas não durante o jogo. O Guarani soma 15 pontos e ocupa o sétimo lugar na classificação, o que, para o técnico, evidencia que o time tem amplas condições de lutar por vaga nas semifinais. Com o zagueiro Aderaldo e o volante Alexandre suspensos, Edu Dracena volta à defesa e Sangaletti deve ser deslocado para o meio-campo, com Gláuber como terceiro zagueiro. O meia Luís Fernando Martinez, recuperado de gripe, tem vaga certa. No ataque, Rafael Silva é o novo titular, com Léo no banco de reservas. No Vasco, o técnico Evaristo de Macedo elogiou o Guarani e lembrou que no Rio-São Paulo todas as partidas são difíceis e é preciso ficar atento à marcação. Os zagueiros André Leone e Gomes devem ser mantidos na equipe titular, apesar da recuperação de Géder e João Carlos, que ainda estão sem ritmo. O artilheiro Romário encara o confronto como mais uma chance de marcar gols e assegurar vaga na seleção, mas também frisou que a equipe paulista está bem preparada. Euller, ainda com dores no pé esquerdo, deve ser substituído por Léo Lima. Ricardo Bóvio atua no meio-de-campo no lugar de Jamir, contundido. O meia Felipe assegurou que os problemas financeiros do clube não vão interferir no rendimento da equipe. Segundo ele, todos estão atuando para provar que são atletas, não mercenários.

Agencia Estado,

16 Março 2002 | 16h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.