Thomas Santos/AGIF
Thomas Santos/AGIF

Sob protestos, Operário-MT acerta a contratação do goleiro Bruno

Jogador de 35 anos cumpre pena em regime semiaberto pelo assassinato de Eliza Samúdio

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de janeiro de 2020 | 16h46

O goleiro Bruno é o novo reforço do Operário-MT para a temporada de 2020. A polêmica contratação já vem agitando o estado do Mato Grosso. O jogador de 35 anos cumpre pena em regime semiaberto pelo assassinato de Eliza Samúdio em 2010 e a negociação com o clube de Várzea Grande só foi finalizada depois da autorização do Ministério Público e da Justiça de Varginha (MG).

Diante da repercussão da negociação, a diretoria do Operário-MT contratou um avião particular para que Bruno desembarque em Mato Grosso ainda nesta semana. A data de sua apresentação no clube ainda não foi definida. O clube fica na região metropolitana de Cuiabá. 

A contratação já vem causando polêmicas. Assim que o negócio foi fechado, o Conselho dos Direitos da Mulher de Mato Grosso emitiu uma nota de repúdio e prepara um protesto para esta terça-feira na Arena Pantanal, em Cuiabá.

Bruno foi condenado em março de 2013 pelo homicídio triplamente qualificado de Eliza Samudio, pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho. Atualmente o goleiro cumpre pena em regime semiaberto domiciliar em Varginha, onde está desde abril de 2017. Ele conseguiu a progressão de pena em 19 de julho após uma decisão da 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais do município.

Em 2020, o Operário-MT tem um calendário cheio com as disputas do Campeonato Mato-Grossense, Copa Verde, Copa do Brasil e a Série D do Campeonato Brasileiro. Antes de acertar com o time do Mato Grosso, Bruno tentou atuar no Fluminense de Feira, mas o clube desistiu da contratação

Tudo o que sabemos sobre:
Goleiro BrunoOperário-MT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.