Fernando Torres/ Paysandu
Fernando Torres/ Paysandu

Sob risco de demissão, Marcelo Chamusca troca Paysandu pelo Ceará

Técnico estava balançando no cargo em Belém e comunicou sua saída

Estadao Conteudo

18 Junho 2017 | 16h02

O Ceará ficou menos de dois dias sem um treinador. Neste domingo, o clube acertou a contratação de Marcelo Chamusca para substituir Givanildo de Oliveira. Chamusca se desligou do Paysandu para aceitar a proposta do time cearense. Ele estava balançando no cargo em Belém (PA), após três derrotas seguidas e o empate sem gols, sábado, contra o líder Juventude, no Mangueirão.

"Comuniquei minha saída ao presidente Sérgio Serra nesta manhã. Decidimos seguir por caminhos diferentes porque entendemos que é o melhor para ambas as partes no momento", disse Marcelo Chamusca, de 50 anos, ao comunicar que deixaria o Paysandu. Ele deixa o clube paraense como campeão estadual.

Será a primeira passagem do treinador pelo Ceará. No rival Fortaleza, Chamusca ficou conhecido por fazer boas campanhas, mas vacilar em momentos decisivos. Com ele, o clube fez a melhor campanha na Série C em duas oportunidades (2014 e 2015), mas perdeu o acesso nas quartas de final.

No Guarani, entretanto, o técnico ganhou notoriedade com seu primeiro acesso para a Série B, em 2016. No confronto entre o clube campineiro e Paysandu, há uma semana, o comandante teve seu nome cantado pelos torcedores no Brinco de Ouro.

O Ceará é o 11º colocado da Série B, com oito pontos, mesma pontuação do Paysandu, que está uma posição na frente graças ao saldo de gols melhor: 1 contra 0.

Ex-volante, Marcelo é irmão do também treinador Péricles Chamusca, de quem foi auxiliar na maior parte da carreira. Como técnico efetivo, passou por Salgueiro-PE, Fortaleza, Atlético-GO, Paysandu, entre outros.

Mais conteúdo sobre:
futebolCearáMarcelo Chamusca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.