Ricardo Duarte/Inter
Ricardo Duarte/Inter

Sob tensão, Inter enfrenta a Universidad de Chile na estreia na Libertadores

Equipes se enfrentam nesta terça-feira, às 18h (de Brasília), no estádio Nacional

Redação, Estadão Conteúdo

04 de fevereiro de 2020 | 07h34

Sob clima de tensão pela volta dos protestos em Santiago, capital chilena, o Internacional enfrenta a Universidad de Chile nesta terça-feira, às 18h (de Brasília), no estádio Nacional, na partida de ida do mata-mata válido pela segunda fase preliminar da Copa Libertadores.

Após um período de calmaria, os protestos voltaram com tudo na última semana após um torcedor do Colo-Colo, Jorge Luís Mora, de 22 anos, morrer atropelado por um caminhão da polícia nos arredores do Estádio Monumental antes da partida contra o Palestino, pela primeira rodada do Campeonato Chileno.

A morte ocorreu na terça-feira passada e desencadeou nova onda de protestos violentos na quarta e quinta. Outro motivo para preocupação: os confrontos têm envolvido integrantes de outras torcidas organizadas de clubes do país, entre eles a Universidad de Chile.

A Conmebol já tomou uma posição e alterou o horário da partida. Inicialmente agendado para 19h15, o jogo foi antecipado para terminar mais cedo. A diretoria do Inter também manifestou sua preocupação à entidade sul-americana antes da partida. "A diretoria, com certeza, tomou todo o cuidado para garantir que os jogadores tenham segurança. Confio também no trabalho da polícia local. Terá segurança nas arquibancadas e um bom jogo em campo", afirmou o goleiro Marcelo Lomba.

A maior preocupação do jogador reside na importância da partida. Com menos de um mês de trabalho do técnico Eduardo Coudet, o Inter já tem uma decisão pela frente. A equipe gaúcha precisa de um bom resultado no Chile para depois decidir no Beira-Rio. O jogo de volta será na próxima terça-feira,

"São poucos dias, apenas o início de todo um trabalho. Um treinador que chegou com muita expectativa. Ainda estamos aprendendo. Temos de ter superação e atenção para suprir o pouco tempo (de trabalho) e trazer um bom resultado", disse Lomba. "É mata-mata, tem o lado psicológico um pouco diferente. Margem de erro zero, temos de jogar mais simples."

Rodinei, recuperado de dores no tornozelo direito, treinou na véspera da partida e está escalado por Eduardo Coudet, que ainda tem uma dúvida para o confronto, no meio-campo. Rodrigo Lindoso é o favorito a atuar, mas o treinador também pode recorrer a Thiago Galhardo e Gabriel Boschilia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.