Sirli Freitas / Chapecoense
Sirli Freitas / Chapecoense

Sobrevivente da tragédia da Chapecoense, Neto anuncia aposentadoria aos 34 anos

Clube ainda pretende realizar um evento para marcar a despedida do zagueiro, que não pode estar em campo nos últimos meses

Redação, Estadão Conteúdo

13 de dezembro de 2019 | 14h48

Um dos sobreviventes da tragédia da Chapecoense com o avião da LaMia, o zagueiro Neto anunciou a aposentadoria do futebol nesta sexta-feira. O defensor tentou retornar aos gramados na atual temporada, chegou a treinar com bola em março, mas as dores levaram o atleta a pendurar as chuteiras. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do clube.

Apesar do rebaixamento da Chapecoense à Série B do Campeonato Brasileiro, Neto chegou a ser convidado para entrar em campo na vitória por 3 a 0 diante do CSA, pela última partida do clube na Arena Condá em 2019. O jogador, porém, não se viu em condições de retornar aos gramados. A sugestão saiu da diretoria, em combinado com a comissão técnica do até então técnico Marquinhos Santos. O clube pretende realizar um evento para marcar sua despedida.

O zagueiro de 34 anos começou a carreira no Francisco Beltrão-PR e passou por Cianorte-PR e Metropolitano-SC antes de parar no Guarani. O vice-campeonato paulista com o clube campineiro o levou para o Santos. Em 2015, chegou na Chapecoense, onde estava até hoje.

Neto foi o último sobrevivente a ser resgatado da tragédia que matou 71 pessoas, sendo 19 jogadores do time que acabou conquistando a Copa Sul-Americana de 2016. O defensor ficou internado por duas semanas na Colômbia até ser liberado para retornar à Chapecó, a fim de dar prosseguimento ao tratamento.

O zagueiro tem contrato com a Chapecoense até dezembro de 2021. A expectativa era que ele fizesse a pré-temporada com a equipe visando o Campeonato Catarinense. No entanto, acabou não retornando aos gramados. Dos sobreviventes, apenas Alan Ruschel chegou a entrar em campo. O lateral estava emprestado ao Goiás, mas retornou ao clube de Chapecó após o fim de contrato.

Já Jackson Follmann vem atuando como uma espécie de embaixador do clube, enquanto Neto tomou frente das defesas dos familiares das vítimas. Eles vêm pedindo providências da seguradora Tokio Marine Kil, responsável pela aeronave da LaMia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.