Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Sobrevivente de desastre aéreo, Alan Ruschel deve receber alta na sexta

Após rápida recuperação, jogador está sujeito apenas ao fim dos antibióticos e à avaliação ortopédica final

Ciro Campos, enviado especial a Chapecó, Estadão Conteúdo

15 de dezembro de 2016 | 11h53

O lateral Alan Ruschel, da Chapecoense, deve receber alta nesta sexta-feira do hospital onde está internado em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina. Os médicos explicaram nesta quinta-feira terem notado uma grande evolução do paciente, que está sujeito apenas ao fim dos antibióticos e à avaliação ortopédica final para ser o primeiro sobrevivente do desastre aéreo da equipe a ser liberado para ir para casa.

O corpo médico do Hospital Unimed disse nesta quinta estar surpreso com a rápida recuperação do jogador, um dos passageiros do voo da LaMia que caiu nos arredores de Medellín, na Colômbia, em 28 de novembro. "Ele dormiu muito bem, está falante, mais à vontade conosco. Os exames mostram melhora progressiva. Hoje (quinta) é o penúltimo dia de antibiótico. Amanhã (sexta) à tarde, se tudo correr bem, ele deve ter alta", disse a diretora do hospital, Carolina Ponzi.

Segundo os médicos, o paciente tem melhorado da infecção no sistema urinário, ao já conseguir urinar normalmente, não sentir dores. Durante a noite ele repousou com tranquilidade, comeu normalmente e, pela manhã, foi transferido para uma outra ala da hospital. No novo setor, o lateral foi para um quarto sem a necessidade de isolamento, medida aplicada pelos médicos para evitar a propagação de bactérias hospitalares.

O jogador está acompanhado da noiva, dos pais e dos irmãos e tem conversado com os médicos sobre voltar a praticar atividades físicas. "Como ele tem um problema na coluna, vai necessitar de cuidado. Futebol é esporte de contato. É precoce voltar a falar em jogar. O exercício físico seria mais para tonificar os músculos. O tempo é que vai dizer se será possível retornar", afirmou a médica.

O jornalista Rafael Henzel, o outro sobrevivente internado no hospital, também apresentou melhora nas últimas horas. "A lesão que iniciamos o tratamento com antibiótico é no pé esquerdo, que apresenta sinais de infecção. Fizemos uma limpeza para tirar parte da pele morta. Ele tem evoluído bem, não tem previsão de cirurgia", explicou a médica coordenadora de UTI Juliana Foresti.

O trauma torácico sofrido no impacto do avião, com sete costelas quebradas, não preocupa tanto. As lesões pulmonares têm apresentado recuperação satisfatória. O tratamento seguirá com antibióticos. Ao fim da última dose, Henzel também deve receber alta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.