Reprodução/Instagram - Alan Ruschel
Reprodução/Instagram - Alan Ruschel

Sobrevivente de queda de avião, Alan Ruschel já treina com bola

Jogador da Chapecoense avança em trabalhos de fisioterapia e deve voltar às atividades normais em maio

O Estado de S. Paulo

27 Fevereiro 2017 | 17h24

O lateral-esquerdo Alan Ruschel, um dos sobreviventes do acidente aéreo da Chapecoense, já iniciou os trabalhos leves com bola no processo de recuperação para voltar a jogar. Nesta segunda-feira ele publicou em uma rede social vídeos de um treino em que já simula ocasiões de jogo, como movimentações e passes. A expectativa dos médicos do clube é para que o atleta volte às atividades normais em maio.

Ruschel aparece no vídeo junto com o fisioterapeuta da Chapecoense, Marcos Bilibio. O lateral faz corridas em trechos curtos em diagonal, finalizados com toques na bola. Os médicos aguardam a consolidação de lesões sofridas na coluna para liberar o jogador a fazer atividades mais intensas, como os treinos no campo junto com o colegas. A estimativa é para esse próximo passo vir em até dois meses, desde que os sobreviventes sejam aprovados em novas avaliações médicas.

O lateral foi o jogador que recebeu alta mais cedo do hospital. Junto com o zagueiro Neto, Alan Ruschel tem feito trabalhos de fisioterapia, reforço muscular e treinos leves para tentar voltar a jogar. O atleta começou o processo de reabilitação em janeiro, na Arena Condá, e nos últimos dias ganhou folga e viajou para a praia. Fora os dois, o outro integrante do elenco que sobreviveu à queda do avião é Follmann, que teve parte da perna direita amputada.

Desde o acidente, no fim de novembro, se passaram somente três meses. Ruschel, aliás, teve a camisa que usaria na final da Copa Sul-Americana encontrada no local da queda do avião por moradores da região. A peça foi guardada e será entregue ao lateral quando a Chapecoense retornar à Colômbia para disputar a final da Recopa Sul-Americana.

 

Mais conteúdo sobre:
ChapecoenseAlan Ruschel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.