Nelson Almeida/AFP
Nelson Almeida/AFP

Relembre a narração de Rafael Henzel no primeiro jogo da Chapecoense após a tragédia

Sobrevivente do acidente com a equipe catarinense, jornalista morre aos 45 anos em decorrência de um infarto fulminante

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de janeiro de 2017 | 18h54

Um dos seis sobreviventes do acidente aéreo na Colômbia no dia 29 de novembro do ano passado, o radialista Rafael Henzel cumpriu uma promessa feita nos seus primeiros dias de recuperação e narrou o primeiro jogo da Chapecoense após a tragédia que vitimou 71 pessoas. O jornalista, que morreu em março de 2019, reestreou em um amistoso entre o time catarinense e o Palmeiras.

"21 de janeiro, 52 dias da tragédia, aqui na Oeste Capital FM. O clube entrou em luto e com muito empenho conseguiu montar um novo time. O torcedor que chorou com a perda, com as fortes imagens daquele sábado, hoje vai ter fortes emoções. Momentos que ficarão para sempre marcados em nossos corações e mentes. Querido e apaixonado torcedor da Chapecoense, querido simpatizante da Chapecoense pelo mundo, hoje é um dia de muita emoção... Vamos de mãos dadas! Você que está em sua casa, ou no seu trabalho, na estrada, lágrimas vão escorrer pelos nossos rostos. Mas tenho certeza que será um dia de renascimento, de uma cidade, de um time, de um povo. Uma união que mostrará ao mundo que com fé e perseverança poderemos dar a volta por cima."

Sem esconder a emoção, o jornalista pediu aos atletas que serão responsáveis por continuar a história da equipe em campo: "Representem bem os que se foram".

No fim da abertura de sua transmissão na Arena Condá, Henzel fez um desabafo. "Quero dedicar meu esforço... Quero que Deus, que já me deu tantas coisas, que me deu a chance de estar novamente com vocês nesse dia, possa dar serenidade e o profissionalismo para conseguirmos levar, com todo empenho e coração, esse reencontro entre o campeão brasileiro e nós, o campeão sul-americano", e concluiu mandando uma mensagem aos familiares da vítimas.

"Às famílias dos que se foram, tentarei representá-los da melhor maneira possível. E como já disse e direi, está no ar na rádio mais ouvida uma transmissão nada imparcial, totalmente parcial, totalmente apaixonada".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.