Sócio do Barcelona retira ação por contratação de Neymar

Sócio do Barcelona retira ação por contratação de Neymar

Jordi Cases dá fim à ação penal e civil que acusava o Sandro Rosell, ex-presidente do clube catalão, por desvio de fundos

Estadão Conteúdo

21 de outubro de 2014 | 14h29

O sócio do Barcelona que entrou com uma ação sobre os valores envolvidos na contratação de Neymar disse nesta terça-feira aos seus advogados para que a retirem. Jordi Cases foi à Justiça alegando que Sandro Rosell, então o presidente do Barcelona, havia desviado fundos escondendo o custo real para o clube, através de contratos falsos, um crime punível com pena de até seis anos de prisão.

A ação levou à renúncia de Rosell em janeiro. "Posso afirmar que nenhum comportamento que possa constituir um crime tenha sido observado", escreveu Cases em uma carta divulgada pelo clube catalão. "Por esta razão eu instruí meus advogados a acabar com a ação penal e civil".

O Barcelona disse que pagou 57,1 milhões de euros (aproximadamente R$ 179,5 milhões) pelo atacante brasileiro. Embora tenha negando qualquer irregularidade, o clube catalão revelou mais tarde uma série de acordos com o pai de Neymar e o Santos que poderiam custar ao clube mais de 31 milhões de euros (R$ 97 milhões). "Eu só posso comemorar a decisão", disse o presidente do Barcelona, Josep Bartomeu.

A decisão do sócio de deixar o caso não significa o fim dos problemas legais para o Barcelona em relação a Neymar e sua contratação. Em fevereiro, as autoridades fiscais espanholas indiciaram o Barcelona por fraude, dizendo que o clube não declarou 9,1 milhões de euros (R$ 28,6 milhões) por meio de pagamento a empresas de terceiros e falsos contratos.

Do valor inicial da transferência, o Santos recebeu 17,1 milhões de euros (R$ 53,8 milhões), enquanto o pai de Neymar, que também é o seu empresário, recebeu 40 milhões de euros (R$ 126 milhões).

O Barcelona pagou 13,55 milhões de euros (R$ 42,6 milhões) às autoridades fiscais para cobrir quaisquer irregularidades potenciais na contratação de Neymar, mantendo a sua inocência das acusações de fraude.

Tudo o que sabemos sobre:
futinterfutebolBarcelonaNeymar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.