Sondado por europeus, Aislan espera definição do futuro

O jovem jogador são-paulino é alvo do Milan e já foi assediado pelo Manchester United e Chelsea

Alfredo Luiz Filho, Jornal da Tarde

03 de janeiro de 2008 | 20h57

Não é só o Milan que observa com carinho o zagueiro Aislan, de 19 anos, que ainda nem estreou pela equipe principal do São Paulo. O garoto já foi assediado pelo Manchester United, pelo Chelsea e, recentemente, recusou uma proposta do Penafiel, da segunda divisão de Portugal. Tudo pelo sonho de vencer no Morumbi, como aconteceu com o ex-parceiro de defesa Breno, negociado com o Bayern de Munique. "Se o Aislan é bom para o Milan, com certeza também é para o São Paulo", defende o empresário e ex-zagueiro Oscar Bernardi, que receberá 30% do valor no caso de uma transferência do garoto - os outros 70% são do São Paulo.Aislan foi descoberto por um olheiro ligado ao ex-jogador em uma peneira realizada há sete anos na cidade de Realeza, no interior do Paraná. Durante três anos, o garoto ficou morando no Centro de Treinamentos que Oscar é dono, em Águas de Lindóia. De lá para o São Paulo, foi um pulo, já que o empresário tem ótimo relacionamento com o clube do Morumbi, que defendeu na década de 80. Mas depois de uma boa Copinha, em 2007, Aislan viu só Breno ser chamado para o elenco profissional. Na última rodada do Brasileirão, foi convocado por Muricy Ramalho, mas não jogou - apenas completou o elenco. Agora, sem idade para jogar novamente a competição de juniores, está encostado, esperando o clube definir se realizará uma excursão para a África do Sul, no fim do mês, ou se será chamado para enfim brigar por um lugar ao sol no time de cima - mesmo com a chegada de Juninho, ex-Botafogo. "O São Paulo contratou um zagueiro sendo que tem alguém que pode ser útil e mais barato. Mas isso não é da minha conta. Nunca vou pedir para darem uma chance a ele. Respeito a política do clube", afirma Oscar, que brilhou com a camisa tricolor na década de 80. De qualquer maneira, o São Paulo está atento ao assédio do exterior. Aislan, que já entrou com a documentação para retirar o passaporte alemão, foi informado de que terá seu salário reajustado. Tudo para aumentar o valor da multa rescisória, que é de US$ 3 milhões (R$ 5 milhões). Uma pechincha para os europeus. Fim de papo Em relação a contratações, o São Paulo informou nesta quinta que desistiu de tentar o empréstimo do volante Fábio Santos, do Lyon, mesmo com o aval dos franceses. A conduta do jogador e do empresário Marcelo Djian irritou os dirigentes, que vão atrás de outro jogador para o setor, que conta só com três atletas: Hernanes, Richarlyson e Zé Luís.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCAislan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.