Sonho vivo: Corinthians vence e está na semi da Copa do Brasil

Equipe alvinegra elimina o São Caetano com duas vitórias e espera o vencedor de Botafogo x Atlético-MG

Alan Rafael Villaverde, estadao.com.br

13 de maio de 2008 | 22h28

 Paulo Pinto/AE  Chicão comemora o primeiro gol da vitória do Corinthians, que mostra força na Copa do BrasilSÃO PAULO - Demorou apenas seis meses para o torcedor corintiano voltar a sonhar com títulos. Depois do fatídico rebaixamento à Série B, em dezembro do ano passado, a equipe está nas semifinais da Copa do Brasil ao vencer o São Caetano por 3 a 1, na noite desta terça-feira, no Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto. Veja também: Calendário / Resultados Ouça os gols; transmissão da Rádio Eldorado/ESPN - AM 700 Bate-pronto: Corinthians dá a volta por cima dentro de campo Chicão não soube explicar o gol: ‘Canela, tornozelo...’A vaga na semifinal não parecia viável no começo do ano para o Corinthians. Apesar da contratação do técnico Mano Menezes, a diretoria encontrava dificuldades financeiras e não pôde trazer os jogadores almejados. Com o elenco possível em mãos, o ex-treinador do Grêmio quase levou o time às semifinais do Paulistão, mas uma derrota inesperada para o Noroeste trouxe à tona os problemas do elenco. A reviravolta corintiana aconteceu justamente na Copa do Brasil. Depois de uma derrota acachapante para o Goiás por 3 a 1, muitos davam a desclassificação da equipe como certa. Mas, apoiado por seus torcedores, o Corinthians goleou a equipe esmeraldina por 4 a 0, recuperando sua auto-estima e recolocando o sonho do torcedor em ver a equipe novamente campeã. Neste caso, tricampeã da competição e, de quebra, com uma vaga à Libertadores de 2009.O sonho corintiano, no entanto, ainda possui percalços, e o próximo será o vencedor do confronto entre Botafogo e Atlético-MG. O primeiro jogo entre os dois, em Belo Horizonte, acabou no empate sem gols. POSTURAS DISTINTASComo havia vencido o primeiro jogo por 2 a 1, o Corinthians jogava por apenas um empate para eliminar o outrora algoz São Caetano, que não ameaçou a vaga corintiana em momento algum, uma vez que, mesmo precisando da vitória por 1 a 0, o time do técnico Pintado parecia ter entrado em campo atrás de um mero empate. Desta forma, a equipe alvinegra, que manteve o esquema do primeiro jogo, comandou a partida sem sustos.O primeiro gol corintiano, no entanto, saiu de um lance de sorte do zagueiro Chicão. Aos 27 minutos, o zagueiro desceu para o ataque na cobrança de escanteio pela direita e, aos trancos e barrancos, tocou a bola com sua canela, desviando o suficiente para vencer o goleiro Luiz e marcar seu segundo gol nos últimos dois jogos (o primeiro foi marcado na estréia da equipe na Série B, diante do CRB, no Pacaembu).  São Caetano 1 Luiz; Leonardo, Lino e Tobi (Caiuby); Daniel, Hernani (Rosembrick), Galiardo, Rafinha     e Rodrigo Ninja     (Andrezinho); Vandinho e Tuta Técnico: Pintado  Corinthians 3 Felipe; Carlos Alberto, Chicão    , William     e André Santos    ; Fabinho     (Wellington Saci), Eduardo Ramos   , Diogo Rincón (Acosta) e Lulinha (Nílton); Dentinho     e Herrera Técnico: Mano Menezes Gols: Chicão, aos 27 minutos do primeiro tempo; André Santos, aos cinco minutos; Acosta, aos 38; Tuta, aos 43 minutos do segundo tempoÁrbitro: José Henrique de Carvalho (SP)Renda: R$ 613.265,00Público: 21.457 totalEstádio: Santa Cruz, em Ribeirão PretoApático, o São Caetano voltou para a segunda etapa sem um de seus volantes: Hernani, que saiu para a entrada do meia Rosembrick, ex-Palmeiras. A substituição não modificou a forma do time do ABC Paulista de jogar.Sem nada a perder pelo resultado parcial, o Corinthians tratou de liquidar com a partida aos cinco minutos, numa bela cobrança de falta de André Santos. A bola ainda tocou na trave direita antes de entrar no gol. Festa corintiana, que poderia ser maior se Mano Menezes não recuasse sua equipe com a saída de Lulinha para a entrada de Nílton, reforçando a marcação.Mesmo assim, o Corinthians tinha mais um motivo para comemorar. Contratado para ser o principal jogador do elenco, Acosta não conseguiu repetir o futebol demonstrado no Náutico e foi criticado pela imprensa e torcida. Hoje, no entanto, o uruguaio deu mais um passo para sua redenção ao marcar o terceiro gol corintiano. Aos 38, Herrera desceu pela direita e, na raça, tocou para a conclusão do meia-atacante uruguaio. O São Caetano conseguiu, através de uma falha de defesa adversária, marcar seu gol de honra, aos 43, com Tuta. Isso pouco importou para o torcedor corintiano, pois o sonho está mais vivo do que nunca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.