Ernesto Rodrigues/Estadão - 21/09/2012
Ernesto Rodrigues/Estadão - 21/09/2012

Sorteio da Copa do Mundo 2014 terá Cafu, Ghiggia e Matthäus

Cada país que já venceu o Mundial terá um representante no dia da definição dos grupos do torneio

AE, Agência Estado

11 Outubro 2013 | 11h21

ZURIQUE - O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, revelou nesta sexta-feira o nome dos ídolos do futebol que farão parte do sorteio da Copa do Mundo, a ser realizado no dia 6 de dezembro, na Costa do Sauipe (BA). Cafu, representante do Brasil, terá a companhia do alemão Lothar Matthäus e do uruguaio Alcides Ghiggia, além de outros cinco representantes dos países que já venceram o Mundial.

Ghiggia, atualmente com 86 anos, foi o grande carrasco da seleção brasileira na Copa de 1950. Ele marcou o gol da vitória dos uruguaios, por 2 a 1, na final que é chamada de "maracanazo" pelos vizinhos sul-americanos. Ao lado dos demais representantes dos países campeões, Ghiggia deve auxiliar Valcke no sorteio que definirá as chaves do Mundial de 2014.

O secretário-geral terá ainda a companhia do inglês Geoff Hurst, do argentino Mario Kempes, do italiano Fabio Cannavaro, do espanhol Fernando Hierro e de um representante da França, não definido. "Será um craque da seleção vencedora de 1998, quando meu país natal, a França, conquistou o título em casa", disse Valcke, em sua coluna mensal publicada no site da Fifa.

"Meu grande desejo para o sorteio final é que ele reflita a maré de expectativa no Brasil para a Copa do Mundo. Eu tenho certeza de que será uma noite memorável e efetivamente emocionante para todos os envolvidos", afirmou o secretário, que considera o sorteio o terceiro maior desafio do Brasil em sua preparação para receber a Copa.

O primeiro foi o sorteio preliminar, realizado há dois anos, no Rio de Janeiro. Depois, veio a Copa das Confederações, disputada em junho deste ano. "O show [sorteio] incluirá um programa ao vivo de TV, transmitido para cerca de 500 milhões de telespectadores em todo o planeta", disse.

O dirigente aproveitou a coluna para reiterar o "puxão de orelha" dado ao Comitê Organizador da Copa, na quinta, quando ainda estava em visita ao Brasil. Valcke criticou o atual estado do gramado do Estádio Mané Garrincha, em Brasília. E pediu maior rapidez nas obras da Arena Pantanal, em Cuiabá, e da Arena da Baixada, em Curitiba.

"Ainda há bastante trabalho a ser feito. Isso será um empenho coletivo do Comitê Organizador Local, das cidades-sede e do governo federal, com o apoio da Fifa, que trabalharão juntos num só ritmo para preparar o melhor evento possível. A contagem regressiva marca 244 dias para o início", avisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.