JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Sorteio dos grupos da Copa será visto por 500 milhões de telespectadores

Audiência dobrou em relação ao Mundial da África do Sul; transmissão será feita para 200 países

O Estado de S. Paulo

04 Dezembro 2013 | 20h12

SÃO PAULO - A Fifa espera que 500 milhões de telespectadores de 200 países acompanhem o sorteio dos oito grupos da Copa do Mundo 2014 na próxima sexta-feira. O número é duas vez maior que o registrado no evento relativo ao Mundial da África do Sul, realizado em dezembro de 2009. O aumento comprova uma tendência observada desde a Copa de 1966, na Inglaterra, quando o sorteio foi televisionado pela primeira vez.

Desde então, o evento pré-Copa do Mundo ganhou importância e apresentou números cada vez maiores. Na Copa de 1998, por exemplo, 38 mil pessoas compareceram ao Estádio Velódrome, em Marselha, para acompanhar o sorteio das bolinhas. Já a marca de 100 milhões de espectadores foi batida na Alemanha, em 2005. Na ocasião, 134 milhões de pessoas em 137 países assisiram à divisão dos grupos.

EVENTO NA BAHIA

O sorteio da Copa do Mundo 2014 ocorre após a disputa de 820 jogos nas eliminatórias, em seis confederações. O evento, que será na Arena Sauipe, na Costa do Sauípe, na Bahia, custou R$ 26,4 milhões, dos quais R$ 20 milhões foram repassados pela Fifa - o governo baiano bancou o restante.

O local do evento tem nove mil quadrados de área. O espaço receberá 4,8 mil pessoas credenciadas. Em relação à imprensa, serão 30 rádios (17 brasileiras) e 79 redes de televisão. A organização do evento contratou dois mil funcionários. Eles contarão com a ajuda de 200 voluntários. Além disso, haverá 300 agentes de segurança e 200 integrantes do Comitê Organizador Local (COL).

O palco, por sua vez, tem 580 metros quadrados e quatro toneladas. Nele, o brasileiro Cafu, o espanhol Fernando Hierro, o francês Zinedine Zidane, o italiano Fabio Cannavaro, o alemão Lothar Matthäus, o uruguaio Alcides Ghiggia, o inglês Geoff Hurst e o argentino Mario Kempes irão sortear as bolinhas. Na plateia, 30 seleções serão representadas por seus respectivos técnicos. Apenas Óscar Tabárez, da seleção uruguaia, e Miguel Herrera, do México, não vão comparecer ao evento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.