Jonne Roriz/AE
Jonne Roriz/AE

'Sou o homem mais feliz do mundo', afirma Ronaldo

Fenômeno diz que sente no Corinthians a mesma satisfação da conquista da Copa do Mundo em 2002

Alex Sabino - Jornal da Tarde,

27 de abril de 2009 | 18h48

SÃO PAULO - O camisa 9 do Corinthians não mede as palavras para falar do seu momento. Menos de 24 horas após ter feito dois gols na primeira partida da final do Campeonato Paulista, contra o Santos na Vila Belmiro, Ronaldo se definiu como o homem mais feliz do mundo. "A coisa que me deixa mais contente é jogar futebol."

Veja também:

linkJulgamento é adiado e Cristian joga final do Paulistão

linkFeliz, Ronaldo já planeja 2010 no Corinthians

linkRomário elogia Ronaldo e já prevê retorno à seleção

linkLula elogia Ronaldo e vê título do Paulistão mais próximo 

linkCorinthians bate Santos por 3 a 1 e fica perto do título

mais imagens Veja mais imagens da decisão deste domingo na Vila Belmiro

forum VOTE - Qual time vai ser o campeão paulista de 2009?

especialSantos x Corinthians, o mais antigo clássico paulista

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Para ele, não há a menor diferença entre a felicidade que sente agora e a que viveu durante a Copa do Mundo de 2002, quando foi o artilheiro da competição (oito gols) e protagonista na conquista do penta mundial com a seleção brasileira.

"Sinto exatamente a mesma satisfação pessoal que senti naquela Copa, quando voltei da minha lesão anterior (no joelho)", garantiu.

O Fenômeno elaborou até lista dos gols que considera os mais bonitos de sua carreira. No início fez charme. Analisou que todos os gols são bonitos e maravilhosos, mas no fim se rendeu. Lembrou de um antológico que fez pelo Barcelona contra o Compostela, pelo Campeonato Espanhol, os dois na decisão do Mundial da Coreia e do Japão contra a Alemanha e... "O meu segundo contra o Santos também foi importante."

Ele está tão satisfeito que não se furtaria a recomendar a volta ao País para jogadores brasileiros que estão no exterior.

"Se me perguntassem, diria que está ótimo (jogar no Brasil). Claro que é bem diferente receber em euros e receber em reais, mas a felicidade é a mesma", assinalou.

ÍDOLO DOS ÍDOLOS

Ao encobrir Fábio Costa e decretar a vitória corintiana, Ronaldo viu Cristian fazer um gesto de reverência em direção a ele. A adoração do elenco corintiano com o seu camisa 9 é incondicional. Apesar do ídolo tentar passar a imagem de pessoa normal.

"Tento ser o mais natural possível. Acho que sou mais normal no convívio com eles do que a maioria dos ‘normais’. Mas faz parte. Alguns deles eram crianças de colo quando eu já estava disputando uma Copa do Mundo (em 1994). Comigo também acontece isso. Quando encontro o Zico, minhas pernas ainda tremem até hoje."

Ronaldo tem conseguido vencer todas as resistências, até de seus críticos mais ácidos. E a felicidade dele deve fazer os zagueiros adversários tremerem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.