Carl Recine / Reuters
Carl Recine / Reuters

Southgate descarta mudar estilo da Inglaterra após queda com erros defensivos

Técnico foi bastante criticado após a derrota para a Holanda na Liga das Nações

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2019 | 13h07

Apesar de nova eliminação nas semifinais e outra chance perdida de acabar com a seca de títulos, o técnico da Inglaterra, Gareth Southgate, descartou a possibilidade de abandonar o novo estilo de valorização da posse de bola adotado pela sua seleção.

A Inglaterra perdeu para a Holanda por 3 a 1, em duelo definido na prorrogação, na quinta-feira, pelas semifinais, perdendo uma semifinal pelo quinta vez consecutiva e estendendo sua sequência de mais de cinco décadas sem títulos.

Southgate admitiu que os dois erros defensivos que renderam gols para a Holanda na prorrogação vieram como consequência do estilo da equipe, mas disse que isso não o fará rever como a equipe joga.

"Eu estou pedindo para que joguem de uma forma que os coloca sob enorme pressão na defesa. Se não jogássemos desse jeito, não teríamos chegado às semifinais, e nunca iríamos progredir para ser um time de ponta", disse Southgate.

A Inglaterra também perdeu nas semifinais da Copa do Mundo no ano passado, e nas três vezes anteriores em que esteve nesta fase, nas edições de 1968 e 1996 da Eurocopa e no Mundial de 1990. Assim, segue sem levar um título desde a Copa de 1966, em que foi a seleção anfitriã.

Southgate, que está no comando da Inglaterra desde 2016, pede para os jogadores valorizarem a posse desde a defesa, iniciando a saída de jogo com os defensores John Stones e Harry Maguire. Eles sofreram com a marcação pressão imposta pela Holanda, até Stones cometer um erro no sétimo minuto da prorrogação, o que se transformou em gol adversário.

"Eu tenho que estar lá para apoiar o John porque ele vai receber críticas depois desta noite. Ele e Harry, a maneira como pedimos a eles para jogar, carregam uma tensão em seus ombros, e eles são incrivelmente corajoso para fazer isso. É assim que eu acredito que eles podem jogar e devemos seguir assim", afirmou o treinador.

O segundo erro defensivo veio na reta final da prorrogação, quando Barkley recuou mal uma bola e a Holanda aproveitou para marcar o seu terceiro gol. "Nós não perdemos por causa de como queremos jogar, os erros foram realmente incomuns, e não em áreas onde cometemos. Não foi arriscado, foi apenas má execução e cansaço, certamente o último foi apenas cansaço. Então eu tenho que não exagerar nessas coisas e eu tenho tem que estar lá para apoiá-los no que é um momento difícil para todos", comentou Southgate.

O treinador da Inglaterra não usou como titular nenhum jogador que no sábado passado participou da final da Liga dos Campeões em Madri, incluindo o atacante Harry Kane, do Tottenham, e o meio-campista Jordan Henderson, do Liverpool. Kane entrou no jogo no intervalo, na vaga de Marcus Rashford. "Eu acho que você pode sempre olhar para trás em algumas dessas decisões", disse Southgate. "Mas, com tudo o que nós lidamos, eu acho que nós começamos e terminamos com os jogadores certos em campo."

A Inglaterra chegou às semifinais da Liga das Nações após ser quarta colocada na Copa do Mundo, tendo passado por Espanha e Croácia na fase de grupos do torneio da Uefa. "É muito doloroso para todos, mas é uma noite em que teremos que aprender muito", disse Southgate. "Eu tenho que olhar para a foto maior do que os jogadores me deram e o jeito incrível como eles tentaram pelo país deles", concluiu Southgate.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.