Divulgação
Divulgação

Souza elogia postura de Osorio: 'É diferente de tudo o que já vimos'

Recém-chegado, técnico colombiano conquista elenco do São Paulo

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

09 de junho de 2015 | 15h20

Na reapresentação do São Paulo pouco se falou da vitória por 2 a 0 sobre o Grêmio, pelo Brasileirão, no sábado. O assunto no clube ainda é a chegada do técnico Juan Carlos Osorio, colombiano que está no cargo desde a última semana e que diariamente é alvo de elogio dos jogadores. Nesta terça-feira foi a vez do volante Souza destacar a humildade e o perfil do novo comandante.

"Ele é um treinador diferente de tudo o que a gente já viu", resumiu o jogador. Osorio tem conquistado o elenco, funcionários do clube e a diretoria principalmente pelo empenho em se adaptar à nova função. O colombiano mora no CT da Barra Funda e tenta aprender português. "É um cara muito humilde e sempre faz perguntas, até para nós, jogadores. Ele quer aprender tanto da língua como do nosso dia-a-dia", contou Souza.

Nas entrevistas, o colombiano tenta não falar em espanhol e embora ainda não domine o português, se arrisca a responder as perguntas no idioma para praticar. O técnico chamou a atenção da diretoria pela currículo acadêmico, com formação universitária nos Estados Unidos, especialização na Inglaterra e experiência de seis anos no Manchester City.

A experiência na Europa faz o técnico optar por treinos diferentes. "Está muito mais intenso, no mesmo ritmo dos jogos. Para toda a atividade tem uma explicação sobre o que aquele tipo de trabalho pode ser aplicado no jogo", comentou. Osorio passou os primeiros dias no clube observando o trabalho de Milton Cruz e agora já está mais participativo nas atividades.

Nesta terça-feira, por exemplo, corria no gramado durante o treino técnico, orientava o posicionamento e gritava com os jogadores em português. Aos poucos o colombiano tem se soltado e apresentado um perfil de ser amigo dos jogadores. "Muitas vezes o treinador tem uma distância com eleno. Ele já não tem e até pede para sentar na nossa mesa", contou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.