Davide Elias/Reuters
Davide Elias/Reuters

Spa reforça segurança para evitar acesso a Diego Maradona

Técnico da seleção argentina passará por uma dieta rigorosa e, depois, deverá observar seus jogadores

Ansa

16 de setembro de 2009 | 11h30

O hotel italiano Palace Merano montou nesta quarta-feira um forte esquema de segurança para evitar que fotógrafos e jornalistas se aproximem ou obtenham imagens do técnico da seleção argentina, Diego Armado Maradona.

 

Veja também:

video TV ESTADÃO: Maradona em baixa, Del Potro em alta

especialMapa - Países que já garantiram vaga na Copa

Eliminatórias da Copa - tabela Classificação | lista Tabela 

especial ELIMINATÓRIAS - Mais no canal especial

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

O ex-jogador viajou há três dias para a Europa a fim de permanecer na clínica de spa do médico Henri Chenot, que fica dentro do hotel, localizado na cidade de Merano, região de Trentino-Alto Ádige.

 

De acordo com informações locais, Maradona está realizando um programa de dieta e exercícios físicos junto com outros famosos, já que o estabelecimento é bastante frequentado por personalidades. O tenor Luciano Pavarotti, que morreu em 2007, se hospedou na clínica.

 

A direção do hotel informou que o técnico argentino permanecerá no local por duas semanas, sob dieta rígida. No entanto, o médico pessoal do ex-jogador, Alfredo Cahe, disse que Maradona será submetido a uma dieta desintoxicante por sete dias.

 

A imprensa argentina especulou que, além de tentar perder peso, Maradona tinha outros dois objetivos para viajar à Europa: realizar uma artroscopia no joelho e se encontrar com oito jogadores da seleção que atuam em clubes locais.

 

Caso a última hipótese seja verdadeira, Maradona deve informar seis jogadores que eles não serão convocados para os dois últimos jogos nas Eliminatórias Sul-americanas para a Copa do Mundo de 2010, contra o Peru e o Uruguai.

 

Após perder para o Brasil e para o Paraguai, a Argentina ocupa a quinta colocação da tabela, com 22 pontos, o que pode fazer com que a equipe não consiga ficar entre as quatro classificadas para a competição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.