Divulgação/Sport Clube do Recife
Divulgação/Sport Clube do Recife

Sport destitui dirigentes após erros em registros e risco de perda de pontos no Brasileirão; entenda

Departamento de futebol do clube pernambucano perdeu o prazo de inscrição de quatro reforços na competição nacional, além de uma possível escalação irregular de um jogador

Redação, Estadão Conteúdo

28 de setembro de 2021 | 11h49

O presidente Leonardo Lopes, do Sport, anunciou nesta terça-feira a destituição do vice-presidente Nelo Campos e dos diretores Augusto Moreira, Gabriel Campos, Guilherme Falcão e Rocine Millet. Os dirigentes perderam seus cargos por conta de uma série de erros recentes cometidos pelo clube, o que inclui a perda de prazo na inscrição de quatro reforços e o risco de perder pontos no Brasileirão pela possível escalação irregular de um atleta.

"Atividades tão rotineiras, chama a atenção que tenha acontecido em episódios recorrentes, simples. Isso chamou a atenção. A gente vai intervir para que isso não aconteça mais. Porque é inadmissível", disse Leonardo Lopes. "No estafe, a gente imagina que entre duas a três pessoas a mais sofrerão as consequências, pelos atos simples que não foram feitos. O motivo não foi especificamente os quatro jogadores. O que motivou foi o conjunto de coisas. A questão da ausência de resultados, principalmente também a questão do momento que o time passa", completou.

Os equívocos cometidos pelo departamento de futebol do time pernambucano no Brasileirão começou logo após a contratação de quatro reforços, o goleiro Saulo, o lateral-direito Jeferson, o volante Nicolás Aguirre e o atacante Vander Vieira. Os jogadores deveriam ter sido inscritos na competição até a última sexta-feira, dia 24, o que acabou não acontecendo

"A gente vai procurar ver se faz algum tipo de negociação. O prazo é curtíssimo. Vamos pensar na Série B. A ideia é aliviar o financeiro, mas o respeito pelo atleta nessa situação", explicou o presidente. "A gente ainda não fez uma apuração minuciosa dos valores. Mas do ponto de vista salarial, é um valor estimado em torno de R$ 600 mil. Desde a madrugada há algumas tratativas de recolocação dos atletas. E isso pode diminuir o impacto", completou o vice Yuri Romão.

Além do erro no registro dos jogadores, o Sport ainda corre o risco de perder pontos na competição. Isso porque clube teria escalado de forma irregular o zagueiro Pedro Henrique, que já havia feito cinco jogos pelo Internacional e esteve nove vezes no banco de reservas da equipe gaúcha. Mas, em duas dessas oportunidades, ele tomou amarelo, o que caracteriza presença de jogo e não poderia mais atuar por nenhum clube da Série A, uma vez que um atleta só pode fazer até seis jogos oficiais por uma equipe antes de se transferir. 

"Acionamos os nossos advogados especialistas no Rio de Janeiro, para saber que há um conflito de normas no regulamento geral e no específico. Os advogados estão trabalhando para que a gente possa evitar a perda de pontos para o clube. Seria uma coisa de proporções inimagináveis", disse o presidente do clube do Recife.

O Sport pode ser punido com a perda de três pontos e mais a pontuação obtida nas partidas em que Pedro Henrique foi a campo com a camisa rubro-negra, de acordo com o Art. 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).

A bagunça nos bastidores se reflete dentro de campo. Sem ganhar há oito partidas, o Sport figura na penúltima colocação do Brasileirão, com apenas 17 pontos em 22 partidas.

Em situação delicada, o Sport inicia a semana se preparando para um confronto direto contra o Grêmio, no próximo domingo, na Arena do Grêmio. O rival gaúcho também está na zona de rebaixamento, com 22 pontos, mas duas partidas a menos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.