Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Sport e Portuguesa empatam no Recife

Em jogo cheio de estréias, a Portuguesa foi bem melhor que o Sport, mas não saiu do empate por 0 a 0, neste domingo, na Ilha do Retiro, no Recife. O resultado não foi ruim para a Portuguesa, mas o time poderia ter voltado para São Paulo com os três pontos, pois criou mais chances de gols que o adversário e suportou bem o forte calor da capital pernambucana. Ambos os times somam quatro pontos, em três jogos na Série B do Campeonato Brasileiro. Foi a primeira partida do técnico Luiz Carlos Ferreira, ex-Santo André, no comando do Sport, que também teve a estréia do atacante Róbson, dispensado pelo Santos, e do meia Cleisson, que passou, entre outros times, por Cruzeiro, Atlético-MG e Flamengo. Na Portuguesa, o lateral-esquerdo Cláudio e o atacante Kleyr, com a documentação em dia, também fizeram o primeiro jogo. Mais entrosado, o time do Canindé dominou o meio-campo no primeiro tempo e chegou bem ao ataque. Aos 9, Bruno sofreu falta perto da área; na jogada ensaiada, o próprio Bruno arriscou o chute, mas sem perigo. Três minutos depois, Paulo Isidoro tocou para Lucas Pereira, que tentou bater de primeira, novamente para fora. A Portuguesa perdeu outra grande chance aos 26: Lucas fez o pivô para Almir, que saiu na cara do goleiro, mas chutou em cima de Maizena. O Sport começou a regir depois dos 20 minutos. Aos 22, em boa trama do ataque, Alecsandro tocou para Sílvio Criciúma, que apareceu de surpresa na área e bateu com força. A bola passou com perigo, à direita de Gléguer. Aos 25, Nildo fez jogada individual e bateu forte, para boa defesa do goleiro paulista. Aos 37, a Portuguesa bombardeou o goleiro Maizena e perdeu duas chances seguidas, em chutes de Edmilson e Paulo Isidoro. O zagueiro Émerson Gaúcho salvou ambas, quase em cima da linha. Para a etapa final, o Sport voltou com duas alterações - Éverton e Leozinho nos lugares de Souza e Danilo Goiano - e subiu de produção. Aos 7 minutos, Nildo fez jogada individual dentro da área, driblou César e Alex Oliveira e bateu forte, mas Gléguer fez boa defesa. Aos 10 minutos, chance para a Portuguesa: o lateral Cláudio apareceu bem no ataque, cruzou na cabeça de Lucas Pereira, que tocou para fora. No minuto seguinte, o Sport teve duas oportunidades para abrir o placar. Nildo disparou num contra-ataque e bateu forte, para difícil defesa de Gléguer. Em seguida, o próprio Nildo tocou para Alecsando, que perdeu a chance embaixo do gol. A melhor chance da Portuguesa veio aos 21 minutos. Numa saída de bola errada do Sport, Paulo Isidoro recebeu livre na área, driblou Maizena, mas bateu sem força, à direita do gol. O estreante Róbson teve uma única boa chance de gol, aos 38 minutos. Após cruzamento da direita, o ex-jogador do Santos cabeceou, mas Gléguer defendeu sem problemas. Aos 39, a Lusa, menos cansada que o adversário, pressionou: Cláudio bateu livre, dentro da área, mas Maizena salvou o chute do lateral. "Esperávamos que o Sport pressionasse mais, mas pelas circunstâncias do jogo, com o calor desgastante, o resultado foi bom", afirmou o goleiro Gléguer, que lamentou as chances de gols perdidas. "Em três jogos, só marcamos um gol, é muito pouco", disse. "Mas se a defesa não sofrer nenhum, vamos somando pontos e isso é o mais importante."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.