Sport promete brigar por título exclusivo de 1987

Clube pernambucano não aceita decisão da CBF de dividir conquista com o Flamengo

AE, Agência Estado

22 de fevereiro de 2011 | 10h11

Um dia depois de a CBF anunciar, por meio de uma Resolução da Presidência nº 02/2011, que o Flamengo foi oficialmente reconhecido como campeão brasileiro de 1987, assim como o Sport Recife, o clube pernambucano anunciou oficialmente nesta terça que irá brigar na Justiça para impugnar a decisão da entidade que dirige o futebol brasileiro.

Por meio de uma nota publicada em seu site oficial, o Sport ressaltou que "continua não aceitando a divisão do título do Campeonato Brasileiro de 1987" e alegou que "os direitos do clube são garantidos pela instância máxima do direito do País, o Superior Tribunal de Justiça (STJ)".

Para reverter a decisão da CBF, o Sport diz que o processo sobre a polêmica que se arrasta desde 1987 foi transitado em julgado na Justiça em 1999 e, desde 2011, foi expirado o prazo para se recorrer da sentença que favoreceu o clube pernambucano.

"É uma coisa simples: o único campeão (brasileiro) de 1987 é o Sport. Portanto, a CBF não pode, agora, ir contra uma decisão da Justiça transitado em julgado. O Sport vai tomar todas as medidas necessárias para preservar seu direito", prometeu o vice-presidente jurídico do clube de Recife, João Humberto Martorelli.

Na última segunda-feira, o presidente do Sport, Gustavo Dubeux, já havia dito que não concordou com a decisão tomada pela CBF e também prometeu lutar na Justiça pelos direitos do seu clube. "O Sport não aceita dividir o título com ninguém", disse o dirigente, para depois reforçar: "O Sport está tranquilo. Vamos tomar todas as medidas necessárias para que a justiça seja feita mais uma vez".

Para justificar a sua confiança de que o Sport conseguirá impugnar a decisão da CBF, Dubeux colocou no site oficial do clube, na nota que divulgou na segunda-feira, três links que remetiam à sentenças que favoreceram o time, que disputou a Copa Libertadores de 1988 por ter sido considerado o legítimo campeão brasileiro de 1987. "(A discussão sobre quem é campeão nacional de 1987) É algo que não deveria nem ser mais comentado, tendo em vista que a mais alta instância da Justiça deu o caso por encerrado e concedeu o título ao Sport", concluiu.

Entenda a polêmica. Em 1987, a CBF enfrentava problemas financeiros e os principais clubes do País criaram uma liga para organizar o Campeonato Brasileiro com o nome de Copa União, que teve a participação de 16 times. Posteriormente, a CBF passou a denominar esta disputa como Módulo Verde e criou o Módulo Amarelo da Copa União com clubes que não participavam da elite do futebol nacional.

Além disso, a entidade definiu que os dois melhores times de cada módulo teriam que se enfrentar para definir o campeão brasileiro de 1987. Porém, Flamengo e Internacional, respectivos campeão e vice do Módulo Amarelo, se recusaram a enfrentar Sport e Guarani, primeiro e segundo colocados do Módulo Verde, respectivamente. Assim, a CBF organizou um confronto entre o time pernambucano e o paulista. Vencedora, a equipe de Recife foi apontada como campeã brasileira, e ambas foram indicadas como representantes do País na Libertadores de 1988.

Desde então, o Flamengo tentava, sem sucesso, ter o seu título de 1987 reconhecido. Em dezembro, inclusive, a polêmica provocou uma troca de farpas entre Ricardo Teixeira e Patrícia Amorim, respectivos presidentes da CBF e do clube carioca. Agora, porém, o impasse foi resolvido com a homologação do título brasileiro de 1987 do time rubro-negro.

Veja também:

linkTítulo de 87 do Flamengo expõe racha do Clube dos 13

linkPatrícia Amorim comemora título de 87 e pede devolução da Taça das Bolinhas

link Diretor diz que São Paulo não devolverá Taça das Bolinhas ao Flamengo

blogAntero Greco: Flamengo hexacampeão. Generosidade da CBF?

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.