Arquivo/AE
Arquivo/AE

STF nega liminar e mantém ação contra Kia Joorabchian

Ex-diretor da MSI, parceira corintiana entre 2005 e 2007, continua respondendo a processo no Brasil

Agencia Estado

16 de junho de 2009 | 13h02

O iraniano Kia Joorabchian, ex-diretor da MSI, continuará respondendo à ação penal por lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Na segunda-feira, o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou um pedido de liminar da defesa de Kia, que queria o trancamento da ação. A MSI foi parceira do Corinthians entre 2005 e 2007.

A defesa de Kia alegou que não havia justa causa para a ação contra o empresário. Os advogados sustentaram, ainda, que o iraniano desconhecia a origem supostamente ilícita do dinheiro que teria entrado ilegalmente no Brasil.

O ministro Celso de Mello afirmou, contudo, que a denúncia contra Kia Joorabchian é idônea e processualmente correta. Ele considerou que o pedido de habeas corpus da defesa foi inadequado.

Antes de recorrer ao Supremo com esse habeas corpus, o empresário iraniano já havia feito um pedido no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Lá, ele também tentou o trancamento da ação penal, mas o pedido foi negado pela Corte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.