Reprodução/TV
Reprodução/TV

STJD absolve Flamengo e Botafogo por tumultos no Maracanã na Copa do Brasil

Clubes haviam sido denunciados pelo tumulto registrado no lado externo do estádio

Estadão Conteúdo

22 de setembro de 2017 | 14h55

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) absolveu, em sessão nesta sexta-feira, Flamengo e Botafogo pelos incidentes ocorridos na segunda partida da semifinal da Copa do Brasil deste ano, realizada no dia 23 de agosto, que terminou com a vitória do time rubro-negro por 1 a 0 e a consequente classificação para a decisão do torneio.

Os clubes haviam sido denunciados pelo tumulto registrado no lado externo do estádio, desordem nos portões D, E, F, invasões de setores da arena, além de um caso de injúria racial. Por causa dos tumultos, houve corre-corre e confrontos entre alguns torcedores e policiais militares, que lançaram bombas de efeito moral para tentar conter a confusão.

A Procuradoria do STJD entendeu que houve responsabilidade das diretorias dos clubes e exibiu vídeos para embasar a acusação, provas contestadas pelos defensores. Por sua vez, os auditores da Quarta Comissão Disciplinar do órgão indeferiram as acusações contra as agremiações sob o argumento de falta de provas.

"É impossível fazer repressão de um tumulto desse tamanho. Muitas pessoas querendo entrar ao mesmo tempo. Não há como responsabilizar o clube por essa situação. Com relação à injúria, não entendo como ato de responsabilidade do clube. Ato isolado e o infrator foi preso. O fato relacionado ao técnico Jair Ventura, não vejo como infração, e o policiamento chegou na hora. Com relação ao Botafogo, não sei o motivo do clube ser denunciado. Há uma foto de uma suposta confusão. Não faz o menor sentido julgar uma imagem solta. Enfim, absolvo Flamengo e Botafogo por absoluta ausência de provas", decidiu o relator do processo, Luiz Felipe Procópio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.