STJD absolve o Paraná Clube, que continua na luta na Série A

2.ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) não tira 72 pontos do clube paranista

31 de outubro de 2007 | 13h32

O Paraná mantém suas chances matemáticas de fugir do rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro ao ser absolvido, na noite desta terça-feira, pela 2.ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O clube paranaense se safou da acusação de escalar o volante Batista de forma irregular em 12 partidas do Nacional e não perdeu 72 pontos. Foi punido apenas com uma multa de R$ 1 mil. O julgamento durou cerca de cinco horas.   O Paraná foi julgado por conta da denúncia feita pelo Náutico e acolhida pela Procuradoria, na qual Batista não poderia atuar pela equipe paranaense em razão de uma liminar obtida na Justiça do Trabalho que o impedia de jogar em qualquer time que não fosse o Avaí, seu ex-clube. O atleta foi contratado pelo Paraná em agosto deste ano, vindo do clube de Santa Catarina, com quem tem contrato até fevereiro de 2009.   O presidente afastado do Paraná, José Carlos de Miranda, e o superintendente da Federação Paranaense de Futebol, Laércio Polanski, foram responsabilizados pelo caso. O primeiro pegou suspensão de 120 dias, enquanto o segundo, de 210 dias.   Já o volante Batista, o presidente do Avaí, João Nilson Zunino, e o diretor do Departamento de Registros e Transferências, da Confederação Brasileira de Futebol, Luiz Gustavo, foram absolvidos. Aliviado com o desfecho da história, o volante Batista chegou a chorar no plenário.

Tudo o que sabemos sobre:
Brasileirão Série AParaná Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.