STJD arquiva caso de racismo contra o goleiro Felipe

Goleiro disse que tinha sido ofendido por torcedores do Juventude na partida pela Série B

AE, Agência Estado

13 de dezembro de 2008 | 15h34

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) arquivou o inquérito que apurava atitude supostamente racista contra o goleiro Felipe, do Corinthians. O jogador havia acusado torcedores do Juventude de ter gritado ofensas discriminatórias, como "preto safado", após o jogo disputado em Caxias do Sul, válido pela Série B.   Veja também: TV Estadão: 'Aqui está mais um louco para este bando de loucos', diz Ronaldo Euforia toma conta dos corintianos na chegada de Ronaldo O presidente do STJD, Rubens Approbato, deferiu o pedido do relator do inquérito, Alexandre Quadros, que havia pedido o arquivamento. O inquérito foi instaurado após declarações do goleiro de que teria sofrido discriminação racial durante o jogo realizado no dia 12 de novembro, no Estádio Alfredo Jaconi.No entanto, o jogador não teria comparecido para prestar depoimento quando foi intimado pelo tribunal. O goleiro do Corinthians estaria de férias. Se a acusação fosse comprovada, o Juventude poderia ser responsabilizado pelas manifestações da sua torcida. O clube gaúcho poderia ser denunciado pelo artigo 213: deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir desordens em sua praça de desporto. O clube poderia receber uma multa de R$ 10 mil a R$ 200 mil, além da perda de mando de campo de uma a dez partidas.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansFeliperacismoJuventude

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.