STJD arquiva queixa contra o Paysandu

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) arquivou queixa contra o Paysandu, que estaria escalando o atleta Adrianinho de forma irregular e poderia ser passível de perda de pontos no Campeonato Brasileiro. O presidente do tribunal, Luiz Zveiter, recebeu informações da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de que Adrianinho não infringiu a legislação ao assinar compromisso este ano com três clubes: além do Paysandu, São Caetano e Corinthians. Ele nem sequer jogou pelos dois clubes paulistas. No entanto, o Artigo 10º do Regulamento Geral das Competições Organizadas pela CBF estabelece que um atleta inscrito no Brasileiro pode se transferir no início do torneio para no máximo outro clube. A discussão jurídica do caso procederia, de acordo com advogados de clubes ouvidos pela Agência Estado. Mas a decisão de Zveiter poderia ter como objetivo evitar novas polêmicas envolvendo o STJD. A queixa foi apresentada pelo Instituto Mineiro de Direito Desportivo e considerada infundada pelo tribunal esportivo. Amanhã, a procuradora do STJD, Maria Manoela, se manifesta sobre as condições de jogo do atacante Dimba, do Flamengo. Há duas semanas, o Guarani entrou com representação no tribunal, alegando que Dimba estaria atuando de forma irregular no Campeonato Brasileiro. Numa análise preliminar do caso, a Procuradoria não detectou nada que pudesse comprometer Dimba ou o Flamengo. Amanhã, a 2ª Comissão Disciplinar do STJD se reúne em sessão que julgará, entre outros processos, os que abordam incidentes nos jogos do fim de semana, entre Botafogo e Corinthians, no Caio Martins, e Vasco e Atlético-PR, em São Januário. Os dois clubes cariocas devem ser punidos com perda de mando de campo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.