STJD começa a investigar nesta terça suspeita de corrupção na seleção

Presidente do Sport será o primeiro a ser ouvido sobre jogador convocado em 2001

Silvio Barsetti, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2013 | 15h35

RIO - O presidente do Sport, Luciano Bivar, será a primeira testemunha a ser ouvida nesta terça-feira pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva, que investiga um suposto pagamento de propina para que o jogador Leomar fosse convocada para a seleção brasileira em 2001.

Há 10 dias, Bivar deu uma polêmica entrevista lançando suspeitas de um esquema nas convocações para a seleção, ao dizer que pagou a um lobista para colocar o volante no grupo que disputou a Copa das Confederações daquele ano.

O presidente do STJD, Flavio Zveiter, pediu a abertura do inquérito, após um requerimento feito pelo procurador do STJD, Paulo Schmidt.

Schmitt disse que espera, "como torcedor, que não tenha havido nada de ilegal". Ele acrescentou que se nada for comprovado, Bivar poderá ser o único alvo do STJD. "Ele deu declarações graves. Tem de ter provas."

Luciano Bivar será o primeiro a se explicar sobre o caso. Ele dará um depoimento às 16 horas desta terça-feira ao auditor do STJD e relator do caso, Miguel Cançado, em Goiás.

Além do presidente do Sport, vão ser ouvidos também Emerson Leão e Antônio Lopes, técnico e assistente da seleção em 2001. Ele vão depor quinta-feira na sede do SJTD no Rio. Se for comprovada a corrupção, os envolvidos vão ser punidos com base no Código Brasileiro de Disciplina Desportiva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.