Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

STJD denuncia Felipão e Mattos por indicarem suposto favorecimento ao Flamengo

Técnico e dirigente do Palmeiras podem ser punidos por declarações dadas após jogo com o Ceará

O Estado de S.Paulo

29 Outubro 2018 | 19h09

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) revelou nesta segunda-feira que denunciou novamente o técnico Luiz Felipe Scolari e o diretor de futebol Alexandre Mattos, ambos do Palmeiras. Após os dois terem sido julgados na semana passada por incidentes em jogo com o Cruzeiro, será a vez de voltarem ao tribunal por entrevistas dadas depois da partida com o Ceará, pelo Campeonato Brasileiro.

Na ocasião, o time alviverde ganhou por 2 a 1, no Pacaembu, porém questionou o árbitro André Luis Freitas Castro pelo excesso de cartões amarelos recebidos. Felipão e Mattos indicaram em entrevistas que as cinco advertências recebidas pela equipe causaram a suspensão de jogadores e favoreceram, assim, o Flamengo. A equipe carioca era o próximo adversário do Palmeiras, que jogou no Maracanã sem três atletas que haviam recebido o terceiro cartão amarelo.

"Parece que tinha uma lista pronta. Tenho um grupo de trabalho muito bom. Vai prejudicar (a suspensão do meia Bruno Henrique), sim. Todo mundo sabe. Todo mundo sabe que vai prejudicar. Volto a afirmar: todo mundo sabe", disse Felipão após o jogo. "Não tem marca nenhuma na meia do jogador deles, nada. O juiz não marca a falta, depois volta. Só estranho", completou.

O diretor do Palmeiras foi mais contundente nas críticas. "Parece que o árbitro sabia claramente do jogo do Maracanã. Sabia que o (Marcos) Rocha está machucado e deu cartão para o Mayke, que não era para dar. Deu cartão para o Bruno Henrique, que não era para dar", comentou. "Ele (o árbitro) direcionou. Então mais uma vez a gente fica pensando e cobrando, porque está muito estranho. Já sabe que tem um jogo no Maracanã, já tira meio time, já tira as opções. Não dá mais para ficar só calado e mandando DVD", criticou.

Felipão e Mattos foram enquadrados por desrespeitarem a arbitragem. O técnico do Palmeiras podem ser suspensos de um a seis jogos. Já o dirigente do Palmeiras pode ser suspenso por 15 a 180 dias. O julgamento será próxima segunda-feira, a partir das 11h, em sessão da Primeira Comissão Disciplinar.

O STJD também levará ao tribunal a análise da expulsão do atacante Deyverson. Contra o Ceará, o jogador do Palmeiras recebeu o vermelho direto no primeiro tempo por atingir o adversário com as travas da chuteira. Ele foi denunciado por jogada violenta, com pena prevista de uma a seis partidas.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.